Centro-esquerda

De Wikimerda
(Redirecionado de Centro-Esquerda)
Ir para: navegação, pesquisa
Outra raça centro-esquerdista, os ambientalistas. Na foto eles estão na convenção nacional do PV, na fila pra comprar maconha!

Cquote1.pngVocê quis dizer: PSDBCquote2.png
Google sobre Centro-esquerda

A Centro-esquerda é uma tentativa da esquerda política de parecer pacífica e da paz. Pois, segundo a própria, suas medidas servem para tornar os dois lados felizes. O que é algo como permitir a propriedade privada dos meios de produção, mas a encacetar de impostos e fazer com que, caso algum sem terra tente invadí-la, o consumidor passe a considerar o microempresário um tirano desumano, e o boicote, o levando a falência.

Como o sem terra não é tão sem terra assim (digamos que ele tenha um Porsche na garagem, coisa pouca, proletária, do povão), ele caga no território e desiste de invadir. Você dá uma olhada nos países governados pela centro-esquerda! Bonitos, não? Desenvolvidos, cheios de infraestrutura... Pois é, a renda per capita é R$ 50.000,00. Maravilhoso, né? Melhor ainda será dar 97% disso em impostos!

Trotskismo[editar]

Pesquisa.pngVer artigo principal: Trotskismo

Um autêntico trotskista que não sabe que os Ramones eram de direita! Mas fazer o quê? Sheena China is a Punk Rocker Fan Club

Leon Trotsky (Léozinho, para os íntimos) mudou-se ainda na infância de Kiev, na Ucrânia para Moscou, no então Império Putin Russo, para trabalhar como operador de telemaketing no SAC de uma fábrica de Vodka.

Descontente, Trotsky funda o Sindicato dos Atendentes de Telemarketing do Império Russo-Otomano (SATIRO), do qual se torna o presidente e através do qual conhece sua paixão platônica: Vladimir Lenin. Ao lado de Lenin, Trotsky funda o Exército Vermelho (cor fashion pra caramba) e lidera a Revolução Russa, que depõe o Czar Nicolau II e cria a União das Repúblicas Socialistas Otomano-Soviéticas (URSOS). Trotsky teve papel fundamental na tomada do poder na Rússia.

Utilizando-se de seu vasto conhecimento telefônico, o camarada Leozinho foi encarregado de telefonar ao czar em horários pré-determinados afim de desviar sua atenção dos assuntos relativos a defesa nacional. Com um papo gostoso estilo telessexo piadas e pegadinhas, Trotsky distraia o Imperador enquanto o Exército Vermelho penetrava por sua retaguarda. Este tipo de sacanagem por telefone é popular até hoje, e leva o nome daquele que o criou: Trotsky (em português: trote). Fato é que, independente dos métodos utilizados ou da intenção de Trotsky, a Revolução Russa viria a derrubar Nicolau e tomar o poder, instituindo o primeiro estado revolucionário socialista comedor de criancinhas de esquerda barbuda e com cara de mau, graxa debaixo da unha e chinelo de dedo da história da humanidade.

Lenin assume como Generalissimus Maximus e Chefe-de-Estado da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, um bando de operários mortos de fome nas cidades e outro bando de camponeses congelados movidos a vodka na área rural. Para Trotsky sobra o Politburo, espécie de Casa Civil russa. O que deu a entender a Trotsky que seria ele o próximo líder da União Soviética. Com a morte de Lenin em 1924, Joseph Stalin, que era mais cabra-ômi assumiu o posto de Ditador do Conselho do Povo Exército da União Soviética, o que deixou Trotsky magoadinho e ferido por dentro. Stalin havia sido muito duro, muito grosso com Léozinho.

Começa, então, a fase emo de Trotsky, e dos trotskistas como um todo. Apesar de ser judeu, Trotsky fez torcida para Adolfinho durante a Segunda Guerra Mundial. Pai de tudo o que é trosko, Leon Trotsky tem um acesso de ciúminho emo. De corrente ideológica à torcida pró-nazi, Léo mostra seu lado mais infantil e imaturo, com frases como:

Cquote1.png Se não é meu não é de mais ninguém! Cquote2.png
Trotsky, fazendo beicinho sobre URSS
Trotsky fundou uma organização terrorista comunista fascista chamada IV Internacional, e passou a fazer coro com os fascistas. Achou abrigo no México do PRI, Partido Revolucionário Institucionalizado.

Social-democracia[editar]

Pesquisa.pngVer artigo principal: Social-democracia

José Serra, a cara da social-democracia
Uma autêntico social-democrata! Tema-o!

Na prática, social-democratas arregam o verdadeiro espírito da esquerda e pagam de democratas bonzinhos. Como Barack Obama por exemplo, que ainda é tido como democrata mesmo tendo criado uma lei que o permite matar qualquer um que considere suspeito. Na Europa, principalmente em terra anteriormente fascistas (esse é o legado) a social-democracia domina geral, exceto Bielorrússia, no Império Putin, na Alemanha, na Inglaterra, na Espanha, na Holanda, na Finlândia, na Noruega e na Grécia, onde a democracia ateniense continua a namorar os garotos. A maioria é desempregada e sobrevive de programas do governo que pagam médicos e professores pra encher o povo com drogas, como comunismo e diazepan. Poucos se dão ao luxo de dirigir um mísero carrinho popular, preferindo percorrer enormes distâncias a pé.

Os social-democratas são membros de um grupo religioso fanático que sempre odiou a América. Social-democratas farejam qualquer pró-americano, qualquer conversa ou declaração que algum deles esteja fazendo, só para os interromper e dizer o quanto eles são idiotas, racistas, intolerante, gananciosos, fascistas, torturadores e irremediavelmente opressores. Em oposição diametral aos valores sobre os quais a América foi fundada, a social-democracia prega que sem intervenção estatal não há vida. Eles trocam o individualismo, a iniciativa pessoal e a liberdade pelo paternalismo estatal. Em outras palavras, os social-democratas ficam tristes quando o governo não faz por eles o que eles deveriam estar fazendo por si mesmos, como bater uma. De acordo com um estudo realizado por médicos de Harvard, os social-democratas são propensos à terem depressão grave quando a glande longa e grossa do governo não está incorporada no reto de todos.

Cquote1.png Liberdade sexual, meu amigo! Amor livre! Viva o amor! Cquote2.png
Social-democrata sobre a sua preferência por ter a glande do governo na raba

Social-democratas morrem de medo de qualquer pessoa que não goste de dar a bunda e os rotula como homofóbicos, que significa aquele que tem medo de bichas. Este é outro exemplo de como os social-democratas abusam de nosso pobre idioma em nome do politicamente correto, uma vez que as pessoas que odeiam bichas ou são indiferentes a direitos dos homossexuais não possuem, estritamente falando, medo deles. Não diga isso para um social-democrata, pois eles vão lançar em um discurso retórico sobre como o português é uma língua criada por homens brancos privilegiados e, portanto, podem redefinir palavras e sufixos à vontade. Também segundo os padrões social-democratas, se você não quer que a Rogéria invada sua casa e tente chupar seu pau, você é um doente mental.

Os jovens europeus sofrem uma lavagem cerebral na maioria das faculdades e universidades em pensar que americanos brancos do sexo masculino são a praga da humanidade, eles não podem pensar isso da própria Europa pois lá são todos brancos do sexo masculino, exceto na Suécia, onde só tem mulher. Também pensam que a diversidade (exceto a diversidade de opinião) deve ser adorado acima de...Foucault, Deus não porque vai contra os princípios. Professores social-democraas adoram mostrar lixos como Uma Verdade Inconveniente e SickO nas aulas de matemática, em especial quando os mesmos nada têm a ver com a matemática. A social-democracia luta para que os debates sejam o último lugar onde as pessoas normais encontrem a liberdade de expressão. No Brasil, a social-democracia é representada pelo Partido da Sacanagem Ditatorial Brasileira, que se faz inimigo da extrema-esquerda para fazer a direita comer em sua mão, mas isso só fode tudo.

Left-Libertarian[editar]

Libertário de esquerda? Isso existe? Sim, caro amigo. Os libertários normais são aqueles que odeiam os valores tradicionais mas amam as questões econômicas dos mesmos. O left-libertarian é a mesma coisa, só que não milita pelas questões econômicas dos valores tradicionais, milita para o outro lado. O left-libertarian é a mesma coisa que um anarquista, prega o fim do estado mas não vive sem ele, com a diferença de que o left-libertarian não prega o fim do estado. Apenas acha que ele está muito reacionário e precisa ser reformulado. O left-libertarism é a filosofia política que visa a defesa da liberdade....dos ateus apenas! Os libertários normais quase não veem diferença. Porquê acham que os conservadores são seus inimigos, mesmo que os maiores opositores de seus princípios sejam justamente os citados neste artigo! Enfim, leia o artigo libertarianismo e troque capitalismo por socialismo, socialismo por capitalismo e feminismo por machismo e pronto! Eis o left-libertarian...

Circle-contradict.png Este artigo parece contradizer um outro artigo: Centro-direita. Não pense sequer em corrigir isto