Michael Moore

De Wikimerda
Ir para: navegação, pesquisa


Wikisplode.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: Michael Moore.


Capa da próxima revista playboy

Cquote1.pngVocê quis dizer: Peter GriffinCquote2.png
Google sobre Michael Moore

Michael Moore é um esquerdista profissional e um gordo socialista com diarreia mental que dirige documentários de merda mostrando "como a América" é ruim[1]. Ele também escreve livros insípidos que agradam principalmente aos alunos do primeiro ano do jardim de infância, brancos que odeiam sua raça e demais seres com diarreia mental.

Michael Moore é o santo padroeiro da esquerda americana, é constantemente criticado pelos conservadores da mídia nanica americana. Segundo Michael Moore, isso é preconceito e fascismo da parte deles, o que é verdade, pois as crianças imaturas com diarreia mental e autismo devem ser respeitadas. Ele é muito conhecido pelos seus filmes sobre tiroteios em escolas[2], serviços de saúde[3] e George Bush. Moore apresenta-se como um herói da classe trabalhadora, apesar do fato e seu "trabalho" consistir apenas em dizer para a câmera e aos caras do som quando começar e parar de filmar.

Como todo socialista proletário, Moore divide seu tempo entre fazer porra nenhuma em seu apartamento estimado em milhôes de dólares em Manhattan, sua casa de praia[4] na Carolina do Sul e o McDonald's. Como um bom amante dos serviços públicos, ele envia sua enteada á uma escola particular, em um dos distritos escolares mais brancos dos Estados Unidos. Ele admitiu não ter tido relações sexuais com uma mulher até os seus 34 anos, quando matou asfixiada a primeira mulher zoófila com tesão em elefantes que encontrou.

EQM[editar]

Michael Moore e seu leve sobrepeso

Michael Moore, o infame comentarista por trás de SickO e Capitalism: A Love Story, morreu hoje ás 13:37. Ele tinha 55 anos só de pança. Testemunhas dizem que ele estava em um vaso sanitário em um banheiro do bairro, no momento da sua morte. Paul Rockford, um dos homens que tentaram bravamente ajudar o sr. Moore, relata o incidente:

Cquote1.png Eu estava sentado em uma cabine com um dos meus filhos quando eu ouvi este barulho horrível. No início eu pensei que era um porco guinchando fora do restaurante, mas então eu o ouvi gritando obscenidades. Eu disse ás crianças pra me esperarem, me levantei e bati na porta do banheiro. Eu perguntei se ele precisava de ajuda, ele gritou: Por Deus (ue), chame a porra da ambulância maldita feijoada! Cquote2.png

O gerente rapidamente destrancou a porta do banheiro e os dois homens correram para ajudar Moore. O senhor Soto descreve a situação:

Cquote1.png Um homem do tamanho de um pequeno planeta veio mais cedo e pediu comida suficiente para alimentar a Rússia: cerca de quarenta e duas tortas de cereja, um bife de 28 onças, um copo gelado de maionese, um barril de Coca-Cola, um galão de leite com chocolate, e um coador completo de anéis de cebola. Minha equipe me disse que ele estava consumindo uma grande salsicha que ele trouxe de casa quando ele levantou suas gorduras e correu para o banheiro. Quando a gritaria começou, eu abri a porta do banheiro e o encontrei em cima do vaso sanitário vomitando gordura pura Cquote2.png

Mr. Soto se recusou a dizer porque Moore não estava no McDonald's naquele dia. Ambas as testemunhas dizem que Moore estava resistindo á exaustão, quando ele entrou em colapso. As autoridades encontraram uma caixa de pizza em frente ao vaso sanitário. Os poucos clientes restantes tiveram de ser evacuados devido ao cheiro de merda e gordura saturada.

Michael Moore assistindo um de seus documentários em sua casa

Investigadores encontraram um grande Big Mac comido pela metade na lixeira ao lado. "Ele deve ter trazido com ele", diz o detetive Mathew Rowsey. A polícia não suspeita de jogo sujo neste momento, mas "as investigações vão continuar". Este relatório foi recolhido pouco depois, quando se soube que Moore teria sido reanimado por paramédicos no caminho para o hospital local.

Documentários[editar]

Michael Moore na infância
Michael Moore mostrando que venceu a anorexia

Michael Moore teve uma longa e bem sucedida carreira gerando lucros para as corporações do mal xingando e falando besteiras sobre as corporações do mal e a mídia que propaga e exibe essas porcarias. Todos esses filmes são documentários de merda em que Moore usa uma câmera, um cara do som, e quarenta editores.

Estado de Michael Moore após sua experiência de quase morte
  • Roger & Me - Um filme sobre como a General Motors odeia a América por não continuar a jogar dinheiro no pântano lamacento que é Detroit. Este filme é chocante por exibir a terrível e demoníaca face do mundo corporativo....distribuído pela empresa corporativa Warner Bros.
  • TV Nation - Um programa de televisão de curta duração sobre como empresas corporativas são do mal, que foi transmitido pela rede corporativa NBC. Cancelado porque ninguém se importa.
  • Canadian Bacon - Dispensa comentários.
  • Downsize This! - Um livro escrito sobre as empresas corporativas e sobre como O.J. Simpson é culpado e inocente ao mesmo tempo. Inclui também uma nota de rodapé ou duas sobre como grandes editoras de livros odeiam os pobres, publicado pela editora de livros Pan Books.
  • The Awful Truth - Outro programa de TV de merda baseado no amor de Michael Moore pela America, transmitido na melhor das hipóteses, por canal de TV a cabo básico de propriedade corporativa.
  • The Big One - Basicamente apenas uma revisão de todas as merdas que ele havia transmitido em todos os seus veículos de comunicação antes do lançamento do filme.
  • Stupid White Men - O segundo livro de Moore sobre como as pessoas brancas são estúpidas. Pode-se notar que ele é um especialista no assunto.[5].
  • Bowling for Columbine - O filme de Moore sobre Columbine. Apresenta uma série de discursos retóricos sobre a "cultura do medo" infligida pelos americanos, um banco que lhe dá uma arma de graça se você fizer um grande empréstimo (então não é de graça[6]) e obter uma loja unicamente para vender munição para pistolas e armas de assalto.
  • Dude, Where's My Food? - Uma cópia publicada do diário de comida que Moore possuía aos seus 13 anos de idade. Apesar do título do livro, Moore sabia exatamente onde sua comida estava, em todos os momentos.
  • Fahrenheit 9/11 - O filme de Moore sobre o Iraque, e sobre como George Bush causou a guerra por dinheiro e foi responsável pelo 11 de setembro. Ligeiramente modificado a partir do nome do mais famoso livro de Ray Bradbury, o título é acompanhado pelo estúpido slogan "A temperatura em que a liberdade queima!"[7].
  • SickO - Filmezinho de merda de Moore chorando sobre como França, Canadá, Reino Unido e...pff...Cuba (hueahueahueahueahueahueahueahueahueahuea) possuem uma saúde de qualidade superior á dos Estados Unidos.
  • Capitalism: A LOVE STORY - O último filme de Moore sobre o porquê de os Estados Unidos falharem em seu sistema capitalista e o por que de as pessoas que gostam do capitalismo odiarem você. Por favor, se você quer preservar a sua sanidade mental, não assista a este filme. No filme, Michael Moore repete sobre como o capitalismo é mau, apesar de ele próprio ser dono de uma mansão e lucrar milhôes com seus filmes de merda.

Notas

  1. Odeia a América mas nunca a abandona
  2. Escolas americanas, longe dele criticar os tiroteios em escolas palestinas
  3. Exceto nutrição, é claro
  4. Toda baleia precisa ficar perto do mar
  5. Afinal de contas, Michael Moore é negão
  6. Gênio
  7. Sim, Michael Moore é a favor da liberdade...para ele

Ver também[editar]