Notícias de merda:Mexidas no cu tem patrocínio do governo federal

De Wikimerda
Ir para: navegação, pesquisa
450px
Diário independente e indepencárie
O seu diário semanal absurdo 24 horas por minuto.
Quarta-feira - 23 de agosto de 2017, Ano 5 • R$ 0,1,5
Página principalAs mais lidasRepórter pelo resto da sua vida por um diaServiçosFatos recentes que você não sabia porque a gente inventou você é burro a mídia é toda comprada
retornar à página principal
Wikify.png Por favor, alguém arrume este pobre artigo segundo as diretrizes estabelecidas no livro de estilo antes que alguém infarte lendo esse artigo mal formatado...
AVISO: NÃO REMOVA ISSO ANTES DE TER CERTEZA ABSOLUTA QUE O ARTIGO JÁ FOI COMPLETAMENTE "WIKIFICADO", SENÃO VOCÊ PODERÁ SOFRER AS CONSEQUÊNCIAS!
Dica: não sabe como wikificar um artigo? Então leia AGORA o nosso Tutorial Wiki! Ou peça ajuda para os usuários mais experientes...

Você está cansado de ser homo sapiens? Quer fugir deste mundo maluco moderno tecnológico estressado para viver nu “balançando o badalo” na floresta igual aos macacos de Tarzan? Leia o artigo abaixo uma peça de teatro bem peculiar e pense se vale apenas abandonar a cidade grande para ser uma macaco.

A peça de teatro bem peculiar chamado Macaquinhos. É um grupo teatral formado por nove pessoas um senhor de idade com cabelos crespo, três mulheres e o restante são jovem estudante de universidades públicas, onde mostram a plateia a estrela principal do espetáculo conhecido pelo povão com vários nomes Zé Golinha, Furico, anel de couro, boga e toba. Isso mesmo que você pensado é o cu. A peça inicia com a entrada do grupo que começa a tira a roupa ficando totalmente despidos e caminha ao centro do palco e todos ficam de cócoras formado um círculo. Se transformam em macacos curiosos explorado a bunda e abrindo do meio devagar as “pregas” até achar o cuzinho do seu amiguinho, em seguida, enfiam o dedo do Cu uns dos outros com toques bem delicados e mexendo o cu alegremente. O momento crucial da peça, é quando começam a engatinha em círculo com o rosto enterrado no meio da bunda igual uma Centopéia humana. O espetáculo encerra com os artistas correndo em círculos, mas sem largar o dedo socado no cu do coleguinha. Nos bastidores. o grupo se reúne para fumar uns cigarrinhos com tivesse tido relações sexuais.

|url=https://www.youtube.com/watch?v=IBYUUBRzjnA |título=Palhaço do Planalto altera perfis de jornalistas na Wikipédia |data=26/11/2014 |pub=youtube festival mix brasil }}

A peça de teatro Macaquinhos se apresentou no ano passado do 22º Festival Mix da Diversidade Cultura no SESC em São Paulo capital e só agora causou polêmica semana passada após a apresentação no teatro SESC cariri no Ceará. A assessoria de imprensa do grupo explicou seguinte. A peça foi inspirada no excesso de impostos que todos nós brasileiros pagamos e completa, ” que brasileiro não se sente assim com um dedo do governo naquele lugar de tantos impostos que pagamos?” O problema não é o dedo no cu, cada um com sua mania e sim a peça teve patrocínio do governo federal com verbas no mistério da cultura. Isso significa que governo pagou o transporte, a hospedagem e a alimentação para o grupo mexer cu dos amiguinhos.

|url=https://www.youtube.com/watch?v=g97VH1kiPGo |título=Macaquinhos! Aprender que existe cu, aprender a ir para o cu, aprender a partir do cu e com o cu. |data=21/11/2015 |pub=Youtube Maurição Almeida }}

A peça Macaquinhos não foi a única a que recebeu verba federal do “sistema S”outra peça exótica também recebeu incentivo governamental chamado performances 'Frieza' e 'Tomar no Cu'. São dois atores um é professor artes e outro é estudante do ensino médio público que se apaixonaram e criando essa peça masoquista para o palco. Ambos introduzem um cubo de gelo dentro no cu e em seguida enfiam uma garrafa vinho chileno no fundo do rabo um do outro para garantir que o líquido acomode dentro do reto. Após encher a todo reto, ambus chupam o cu para beber o vinho que estava preso dentro do rabo, o gelo tem um papel fundamental é gelar o vinho estocado no rabo (como se fosse um cooler natural). Segundo eles, “uma garrafa de vinho no ânus, a afim de questionar a relação do cidadão com o governo. É como se o órgão estivesse à mercê dos poderes públicos, que decretam o que deve ser feito com ele”. “Ambas as peças têm um sonho, é de se apresentar no Teatro Karl Marx e Teatro Nacional de Cuba para mostrar como o capitalismo é cruel em todo mundo, mas infelizmente, o governo cubano disse que não tem condições de bancar as viagens. O jeito mesmo é apelar ao ministério da cultura”. Diz o diretor da peça Macaquinhos.

Antes do fechar essa reportagem, entramos em contato com diversos críticos artes, como os críticos tinha uma ligação partidária e ideológica, infelizmente não quis dar opinião sobre essa nova expressão teatral no momento. Encontramos na internet achamos um crítico de arte que não tem ligações ideológicas que deu sua opinião as duas performances teatrais. Veja os vídeos.

Fontes[editar]

|url=http://sacizento.bol.uol.com.br/blog/?p=16640 |título=Macaquinhos é inspirada nos impostos que nos pagamos |data=23/11/2015 |pub=BOL }}

|url=http://www.apalavraonline.com.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=2&Itemid=128&id_noticia=11944 |título=Peça de teatro paga com verba do sistema ‘S’ explora o ânus no palco |data=20/11/2015 |pub=Jornal ONLINE Palavra }}

|url=https://catracalivre.com.br/sp/agenda/indicacao/artistas-apresentam-performances-frieza-e-tomar-no-cu/ |título=Artistas apresentam performances 'Frieza' e 'Tomar no Cu' |data=25/11/2014 |pub=Catraca Livre }}