Vladimir Ilitch Tepes

De Wikimerda
Ir para: navegação, pesquisa


Mamãe, No céu tem pão ? E MORREU !
Vlad Tepes já morreu
Faleceu...

Bateu com as dez!

Clique aqui pra |ver quem te espera no inferno

Capeta.jpg
Vlad Tepes surgiu das trevas!!!

Está sentado no colo do Diabo

Muerteenllamas.gif
60px-Uiquiilogo botante.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Vlad Tepes.
Vlad III, o Empalador
Vlad.jpg

Vlad, depois de torturar turcos
Publicado por Zé Ruela
Estréia como depravado 1442, quando meteu um lápis em uma morsa pela cavidade anal
Criadores Capiroto
Nome real Vladimir Lênin II
Pseudônimo Cara-de-piru, Drácula II, Comedor de cus por tabela
Relações Apesar de ser conhecido como "O Empalador", ele é quem gostava de ser empalado.

Cquote1.pngExperimente também: Zé VampirCquote2.png
Google sobre Vlad Tepes
Cquote1.pngExperimente também: Edward CullenCquote2.png
Google sobre Vlad Tepes
Cquote1.png O bambu! Tragam-me o bambu! Cquote2.png
Vlad, o Empalador prestes a empalar um turco
Cquote1.png Enfia no teu cu! Cquote2.png
Menina do Bambu sobre citação acima
Cquote1.png No cu não, no cu não, ahhhhhhhhhhhhh... Cquote2.png
Outro soldado turco sobre Vlad, o Empalador
Cquote1.png Meu colega de escola! Cquote2.png
Ivan, o Terrível sobre Vlad, o Empalador
Cquote1.png Eu tenho medo... Cquote2.png
Regina Duarte sobre Técnica de Empalamento
Cquote1.png Você traiu o movimento vampírico, véio! Cquote2.png
Dado Dolabella sobre Vlad, o Empalador

Sobre[editar]

Vlad1.jpg

Vladimir Ilitch Lenin III Vladimirovitch Tripas (ou o Empalador Cid, filho de Vlad II, o Drácula) foi um herói romeno que triunfou na Idade Média (século XV), como um dos governantes mais requintados e refinados do velho Mundo. Pelo menos no que diz respeito à tortura. Em todos os outros casos, era um idiota. Famoso por seu caráter diplomático e afável lhe rendeu muitos miguxos, incluindo sua alma turca hamijos.

Sua vida[editar]

Que bigodinho mais cafajeste...

Vlad veio ao mundo no inferno inverno de 1431, na Transilvânia, que era apenas um sangrento feudo para onde a metrópole de Budapeste enviava suas merdas. A Casa de Vlad ainda pode ser visto em sua cidade natal de Sighisoara, era um barraco feito com sacos de lixo e ossos de galinha que teria sido levada pelo caminhão do lixo se fosse construida no Brasil.

Primeiro banimento do Empalador Cid[editar]

Aos 13 anos, Vlad foi emancipado de seu pai Drácula, e foi enviado para a Turquia com seus irmãos Zé Vampir e Edward Cullen para testemunhar a Passarela de Empalados de Estambul em 1444, diz-se que foi uma das melhores daquela temporada de primavera-verão, onde se expuseram á vista da população os melhores cadáveres empalados. Zé ficou indiferente com a situação, Edward passou a ter nojo de bucetas, enquanto Vlad adorou o espetáculo, que o marcou pelo resto de sua vida, transformando o empalamento em sua filosofia.

Com a morte de seu pai, foi a sua vez de sentar no trono já que o seu irmão Zé Vampir havia sido tapocrifado e colocar Edward Cullen no comando era assinar a sentença de morte da Transilvânia. Todos foram perpretados pelos boiados, que eram os ricaços da Valáquia. Em seguida (dizem que foi a SME) as hienas foram caçar juntas como uma presa indefesa. Esses eram os boiados, e Vlad agradeceu eternamente á eles (muitos foram convidados á Passarela de Empalados, realizada semanalmente na cidade).

Vlad testemunhando o sexo anal da passarela

Depois de ser largado sozinho, Vlad decide descobrir o mundo (sem encontrar porra nenhuma) e em 1456 encontra um trono vazio que ocupará, inicialmente pra ser dado á boa vida, mas depois foi para bombear o ranho, beber sangue e empalar.

Vlad Presidente[editar]

Durante seis anos, até 1462, Vlad promove a entrada da Valáquia na ONU, alcançada em 1457. Também fundou o primeiro estádio de futeboiola da atual Romênia e começou a botar o pé nas estradas de areia para o transporte de cervejas e putas. Em sua positiva trajetória, encontramos numerosas celebrações empalamentárias, as primeiras organizadas por ele, e que seriam lei de estado semanalmente. Os primeiros sortudos seriam os habitantes de Sibiu e Brasov, mas como eles não quiseram pagar a propina, Vlad e sua Valáquia os convidou para o desfile. Ali foram, e ficaram para ali para sempre...pendurados em uma vara, exatamente como as bandeirinhas de sua escola, imagina o quanto elas sofrem. Uma honra que só Vlad poderia lhes dar.

Mesmo assim, o povo animado chamou Tepes (ou empalador, ou empala-cus...dá no mesmo, porra!). Pelo jeito, seus amigos (de peito) boiardos não ficaram sem recompensa, de fato, levara um prêmio gordo. Mas isso será um capítulo à parte.

Infelizmente, nem todo mundo se agradou, como alguns incrédulos, como Dan o cu II, o ex-principe da Valáquia e inimigo de infância de Vlad. Dan achou que ele deveria ser o rei da Valáquia, mas não conseguiu, ninguém levanta a mão contra o grande Vladimir, que convidou Dan ao desfile.

Segundo banimento do Empalador Cid[editar]

A casa de Vlad (ela cheira á merda porque tem uma fossa ao lado)

Como a glória não dura muito, Vlad perdeu a Guerra do Biscoito contra os húngaros em 1462, que ocuparam o o trono e mandaram Vlad para a Hungria para que meditasse. E a criatura meditou. Inclusive escreveu o seu próprio livro: Sangue e Bukkake em sentido Sadocientífico. Além do livro, sobretudo se dedicou a pedir alguns ratos e pombos aos Reis Magos, para imitar as passarelas verdadeiras, furando os seus pequenos corpos com uma chave de fenda ou qualquer outra coisa que se encontrasse em sua mão.

Morte[editar]

Em 1973, Vlad deu início á uma greve de fome porque queria escapar do castelo, e as autoridades húngaras, comovidas, o deixaram fugir. Foi o primeiro precedente do Iñaki de Juana Chaos.

Nosso protagonista, mais crescido do que nunca, acreditava que só ele poderia acabar com o Império que o tirou do trono, ele poderia conseguir? Óbviamente sim não. Apesar dele ter conseguido chegar á Istambul e retomar ás passarelas empaladoras, algo que o povo turco agradeceu em demasia.

Felizmente Infelizmente, um bando de desconhecidos que se denominavam o exército turco mataram Vlad e suas dúzias de defensores imbecis, que enfrentaram 200 turcos. Como Vlad era um herói, cortaram sua cabeça e a transformaram em uma bola de futebol, seu corpo foi empalado pra ele ver como é bom.

Pós-morte[editar]

Um animal empalado por Vlad (não me refiro ao próprio Vlad), que cara cruel...

Como Vlad morreu virgem (HAHAHAHAHA, que otário) e não teve nenhum filho, e seu irmão Zé Vampir foi enterrado vivo, sobrou a seu irmão Edward Cullen ocupar o trono.

Pra quem não sabe, Edward era um emo revoltadinho com a vida, filho de Vlad II, ele morria de ciúmes de Vlad, porque Vlad vivia rodeado de homens, então havia tentado matá-lo várias vezes antes desse incidente.

Algumas de suas tentativas falhas estavam batata envenenada no café da manhã, engasgamento com milho ao desafiar Vlad a comer a bosta da cadelinha deles, Jormenia, estrangulamento com linha de pipa corrente, forçá-lo a ouvir 5 horas seguidas do novo CD do Justin Biba... Nenhuma funcionou, mas quando soube da notícia da morte do irmão, ele foi imediatamente para o trono, porém Vlad, antes da morte, encomendou que várias mulheres fossem festejar sua vitória com muito sexo em seu novo cargo na turquia, que agora seria com Edward.

Ao ver as gostosas, Edward subiu no topo do edificio da Apple e pulou, caindo em uma das varas de empalamento do irmão.

Situações curiosas[editar]

Acredite, ele sentia tesão por cenas como essa

Durante a vida do nosso herói, aconteceram várias situações um tanto quanto imbecis, recomendamos que o leia com a voz do Narrador da Sessão da Tarde pra ficar mais interessante.

O comerciante[editar]

O comerciante foi um tio que arriscou a vida para dar algumas ameixas e um pano português pra dar de presente á Vlad. Vlad, humilde como sempre, pega os presentes e escorraça o comerciante pra fora de sua propriedade. Além de o convidar para o desfile. O comerciante recusa, e Vlad o pega e o empala, o que mostra o quão gentil e boa pessoa é.

O monge escrupuloso[editar]

Um dia, um monge um pouco incauto se atreveu a dizer á Vlad que seu castelo cheirava á merda (e cheirava mesmo, vide o fato das estátuas empaladas continuarem ali por anos). Vlad, com esse caráter diplomático que o caracteriza, convidou o monge ao desfile, o deixando pendurado em um mastro.

Cquote1.png Ai encima cheira melhor? Cquote2.png
Vlad
Cquote1.png Sim, sim, e com essa vara dentro de mim, fica melhor ainda Cquote2.png
Monge, era gay simplesmente

A taça de ouro[editar]

Vlad depois de fumar uma ervinha da boa (reparem nos olhos vermelhos)

Depois de beber um porra porre mesclado com sangue de adolescente em um cálice de ouro, Vlad decidiu ir á praça central de Târgoviște e colocar a taça de outro cheia de vinho em cima de um podio. Para que os álcoolatras pudessem fazer a festa e deixá-lo em paz. Observe como o altruismo de Vlad vai longe, afinal, lembre-se de que havia sangue ali, o que resultou na morte dos álcoolatras.

Vlad posteriormente retirou a taça de ouro do podio após descobrir que os alcoolatras eram suicidas.

O funeral de Dan[editar]

Um principe infiel á Vlad chamado Dan foi pego em flagrante por ele, e teve a honra de participar da escavação de sua própria tumba e do desfile. Dan chorou de felicidade.

Vlad e Drácula[editar]

Vlad na infância, prestes a empalar a própria namorada (ainda bem que era só a faca)

No século Xixi XIX, um irlandês infeliz e entediado chamado Bram Stoker escreve um livro particular de deturpações e fabricações históricas sobre Vlad. Inventando um personagem de capa preta (vermelha por dentro), com um bigodin cafajeste, o cabelo da Maria Bethânia, rosto pálido, cara de bunda e que gosta de dormir durante o dia e fica acordado a noite inteira fazendo merda.

Todas essas falácias foram aplicadas á Vlad, e todas as gerações de jovens acreditaram mesmo que Vladimir Ilitch Tepes (vulgo Vlad Tepes) era na verdade um vampiro. O que Bram não sabia é que a história que acabava de inventar era verdadeira, que Vlad Tepes era um vampiro (que clichê) que comia (no bom sentido, seu tarado) os empalados no dia seguinte do desfile.

Esse livro foi proibido na Romênia até 1992, quando estavam todos prestando atenção nos Jogos Olímpicos de Barcelona, impedindo que alguém ligue para o livro. Apenas para não ler-lo, já que os seguidores de Vlad limpavam a bunda com ele. As páginas do livro de Stoker virou uma das marcas mais vendidas de papel higiênico depois disso.

Seus instrumentos de tortura[editar]

A simpatia de Vlad Tepes

Vlad é conhecido mundialmente pela sua tática festiva que permeou a Romênia e a Turquia por um longo tempo: o empalamento. Esta tática consiste em meter paus no cu. Grossos, de preferência, para um último prazer ao individuo que serás empalado. Mas além do empalamento, Vlad Tepes usou muitas outras técnicas em suas vítimas antes de ficar famoso e após a proibição do empalamento:

  • Abacinamento - Grande parte do público odiava ver o banho de sangue dos desfiles de Vlad, então ele arrancava os olhos de todos, para que não vejam porra nenhuma.
  • Berço de Judas - Quando o empalamento foi proibido, Vlad decidiu usar a técnica que mais se assemelhava com o empalamento para seus desfiles, no caso o Berço de Judas.
  • Dama de ferro - Também era bem similiar ao empalamento, com a diferença em que os paus eram bem menores mas cortavam o corpo inteiro ao invés só do cu.
  • Potro e Desmembramento - Era radical ver os outros serem mutilados, mas eles praticamente não sofriam, então Vlad abandonou a técnica depois de 6 meses.
  • Sonda Anal - Também era bastante similiar ao empalamento, só que o torturador era obrigado a ver o que tem dentro do cu do torturado, o que é muito nojento, até mesmo para Vlad Tepes.
  • Apedrejamento - A que Vlad menos gostava, pois se usasse pedras normais demoraria pra caralho pra alguém morrer, e se usasse pedras gigantes o torturado morria rápido demais, e assim não tinha graça.
  • Serração - Envolvendo cu já tava bom para Vlad.
  • Morte por mil cortes - NÃO envolvendo cu tava ruim pra Vlad.
  • Injeção letal - Só se fosse no cu.
  • Guilhotina/Decapitação - Só se cortasse o cu (ou o pinto) ao invés da cabeça tava bom pra Vlad.

Ver também[editar]