História da Inglaterra

De Wikimerda
Ir para navegação Ir para pesquisar

Predefinição:Ingreis

Na antiguidade a Inglaterra era habitada por um grupo de celtas druidas, bruxos, magos que graças à ajuda alienígena construíram Stonehenge e Avebury. Os ingleses atualmente inventaram o Monty Python e provam de sua própria incompetência por hoje serem mais pobres que sua ex-colônia Estados Unidos, o seu papel hoje no mundo é apenas pagar pau para os americanos.

Domínio romano[editar]

60px-Uiquiilogo botante.gif
Para ler este artigo com um ponto de vista mais parcial, a Wikipédia tem um artigo sobre: História da Inglaterra.


Nem os romanos que chegaram ali no ano de 43, loucos como eram por praticar o esporte de invadir e ficar cagando na casa dos outros aguentaram ficar naquela porra de ilha por muito tempo. Principalmente depois de queimarem as florestas de toda aquela merda incluindo a Escócia pré-Whisky/monstro do Lago Ness e País de Gales. O objetivo da queima de todo aquele mato, não foi só pra foder com a guerrilha nativa que combatia contra o Império Romano, mas principalmente para plantar grama naquela joça toda e transformar a ilha num grande campo de férias e recreação do exército Romano para as práticas de futebol, golfe, cricket, bolinha de gude e cuspe à distância, entre outras modalidades que os Romanos já havia surrupiado de outros povos e rebatizado como suas invenções (hábito aliás que os ingleses copiariam destes à exemplo da grama, do imperialismo, e do futebol). Além do que, o fumacê oriundo da queima de todas as florestas da ilha, na mistura dos gases de todas as plantas, dava um barato inigualável por qualquer erva, como relataram navegantes jamaicanos que passaram pela ilha durante o processo.

O problema foi o efeito colateral dessa queima. Devido à mudança de clima, causada por esta cagada monumental este "projeto esportivo", que mudou drasticamente o clima da Ilha, transformando-a num imenso chuveiro natural ( daí a expressão "chuveirinho" no Futebol Inglês ), em que chove dia sim, dois dias também e quando não chove não se enxerga um palmo a frente do nariz nem pra achar um copo e encher a cara pra esquecer aquela merda toda; decidiram os Romanos abandonar tal projeto, a ilha em si, largando tudo na 1ª oportunidade, ou seja no 1º dia de sol que desse pra navegar de volta ao continente, coisa que só aconteceu dezenas de anos depois de tomada a decisão de deixar aquele lugar.

Invasões vikings[editar]

A Inglaterra bárbara.

Poucos séculos e muito anos depois de Arthur, o Corno como assim o chamava Sir Lancelot (o que prova que não se deve confiar nem nos amigos), a Inglaterra foi vencida fragorosamente pelos Guerreiros Vikings que gostavam de estuprar constantemente a ilha mas só pra tirar sarrinho, porque 'casar que é bom' nem pensar. Porém dessa vez liderados pelo lendário Eric, Vermelho, tinham vindo pra ficar em definitivo. No entanto, assim que Eric viu do que tomara posse decidiu que era melhor estar morto e... morreu.

Inglaterra normanda[editar]

Após os Vikings vieram os Normandos, o MST da época que, de tão fodidos e mal pagos, não tendo pra onde ir ficaram naquela merda de ilha mesmo. Curraram todos os ingleses, inglesas e inglesinho(a)s e tomaram conta de tudo.

Guerra dos 100 anos[editar]

Como senhores da Inglaterra, ao se lembrarem que tinham sido chutados da França e mal recebidos na Inglaterra decidiram se vingar de ambos, invadindo a França e começando a Guerra dos 100 ânus (uh la la mon cherry), que não teve 100 anos como a crença popular afirma, mas teve pouco mais de 116 ânus, e de quebra aumentando e mantendo uma rivalidade que perdura até hoje.

Henrique VIII[editar]

Muito depois, um belo dia apareceu um rei louco mas que não era bobo chamado Henrique VIII, que se casou com uma princesa espanhola. Com o tempo, porém, a espanhola embarangou e Quinho ficou de saco cheio dela: quis dar-lhe um pé na bunda, mas a igreja não permitia. Então ele se separou da igreja católica e dos demais comedores de pizza de Roma, fundando o Anglicanismo (religião que mistura suruba com alcoolismo), e pôde enfim se livrar da mulher.

Depois ele arrumou outras 54 esposas, muitas das quais acidentalmente morreram degoladas, mas isso é outra história. O que interessa é que graças a Henrique VIII (os outros 7 henriques nunca fizeram nada que prestasse) a Inglaterra adotou o sistema de veneração da família real, um fenômeno que existe até hoje e que nem eles mesmos entendem porque adoram a família real.

Colonizações[editar]

Bandeira brasileira durante a colonização britânica.

Num país em que roubar é um ato honroso (o herói nacional é Robin Hood), os ingleses viviam só do que conseguiam tirar de outros povos. Por isso, por volta do século XVI, a economia nacional vivia somente à base do que os piratas conseguiam saquear dos navios que vinham da América. Mas, ambiciosos, os ingleses então também resolveram roubar diretamente no Novo Mundo. Os espanhóis, que já estavam lá, ficaram putos, é claro. Acabou saindo uma guerra: o vencedor ficaria com todo o ouro das Américas. Mas como os espanhóis na cabeça só tem topete e nada de cérebro (além de serem azarados, porque suas naus foram pegas por um vendaval muito forte), a Inglaterra mais uma vez teve a Queen salva pelo God e ficou com todo o ouro, se tornando o país mais rico do mundo.

Com a grana roubada, os ingleses construíram a mais poderosa força naval do planeta, a Royal Navy (tradução: "Marinha Real de Sua Majestade o Rei ou Rainha, depende das circunstâncias"). Os piratas, que já eram os maiores heróis nacionais, foram profissionalizados, embarcou nos navios da Royal Navy como marujos, para assaltar o mundo. Por conta disso, ao longo dos séculos XVII até XIX, os ingleses conseguiram pôr a mão em diversos territórios e bolsos alheios nos cinco continentes.

Revolução Industrial[editar]

Estes novos assaltos renderam ainda mais grana. Então, com ela, os ingleses passaram a construir máquinas (que haviam sido criadas por franceses, alemães ou americanos), para fingir que faziam alguma coisa decente, porque esse negócio de só ficar roubando assim, na cara dura, já estava pegando mal. Para disfarçar, disseram que as máquinas serviam a uma tal de "revolução industrial" e inventaram o capitalismo - onde continuaram roubando escandalosamente, mas agora com um certo english style de extorsão.

Devido à já citada falta de criatividade dos ingleses, as tais máquinas só serviram para fabricar coisas inúteis ou desagradáveis (ou ambos), como: bastões de críquete (para dar porrada em irlandeses); chapéus-côco; raquetes de tênis; taco de golfe madeira nº 4; romances de Jane Austen; desengomadores de colarinho; grama artificial; jornais sensacionalistas; roupinha de caçador e os Beatles. Com toda esta tralha se acumulando na ilha (e tirando o espaço para plantar grama, pela qual eles têm uma inexplicável adoração), eles resolveram exportar seus "produtos" industriais. Ninguém queria estes "produtos", mas nem assim os ingleses perdiam dinheiro: quando algum país se recusava a comprar essas merdas, eles enviavam os navios da Royal Navy para lá e forçavam os caras a pagar. Portugal por sua vez era o melhor comprador da Inglaterra e por causa disso os portugueses são falidos até hoje. Todo mundo perdeu grana para os ingleses neste período (os únicos que se deram bem foram os suíços, que não têm mar) por isso a Europa inteira odeia a Inglaterra.

Quando finalmente inventaram algo que prestasse (o futebol), os ingleses ficaram muito satisfeitos, mas logo depois, ficaram chateados ao constatar que qualquer estrangeiro (mesmo pigmeus de Papua Nova Guiné) jogavam muito melhor que eles. E tiveram que esperar até 1966 para poder, enfim, comprar conquistar uma Copa do Mundo. Roubada, é claro.

Segunda Guerra Mundial[editar]

Inglaterra após a Alemanha ter dado um passeio por lá. Até as cores foram devastadas.

No século XX surge um lunático que tinha meios suficientes pra invadir a Inglaterra. Mas, durante a Segunda Guerra Mundial, após tomar a França, vendo que a conversa de Churchill de...

Cquote1.png ...não haveremos de ceder nem fracassar. Iremos até o fim: ...lutaremos nos mares e oceanos ...jamais nos renderemos, e mesmo que ...esta Ilha ...seja subjugada e esteja passando fome, nosso Império de além-mar, armado e guardado pela esquadra britânica, continuará a lutar até que, quando Deus quiser, o Novo Mundo, com toda a sua força e poderio, se ponha em marcha para socorrer e libertar o Velho... Cquote2.png

..era séria, papo-reto; Hitler que não estava a fim de ficar brincando de esconde-esconde com Churchill pelo resto do planeta, decidiu que não valia a pena tomar aquela ilha chuvarenta, de cerveja quente e gastronomia terrível. Então pra tentar intimidar, tentando ganhar a guerra só na pressão, mandou a Schutzstaffel bombardear Londres e outras cidades inglesas, diariamente pra ver se os ingleses pediam água. Mas meses e muito bombardeiros alemães com suas respectivas tripulações depois, os ingleses nada de desistir. Foi quando percebeu que Stalin estava chegando por trás (ui), devagarinho, como quem não quer nada, e decidiu trocar a Inglaterra pela União Soviética como alvo, até porque pra chegar em Moscou, pensou ele (que odiava avião e principalmente barco), dava pra ir de trem ou limousine. Assim, com Hitler não contente com a possibilidade de apenas despejar Churchill e os ingleses da ilha, sem obter a rendição deles (que já avisavam, iriam continuar a perrenga de outras partes do Império Britânico), mais a entrada da União Soviética, depois os Estados Unidos, e até do Brasil na briga contra a Alemanha e seus aliados, os ingleses finalmente puderam soltar o cu da mão, e cagar aliviados, porque apesar de ter passado raspando, tinham se livrado de mais essa.

Guerra dos dentes Podres Punks seguidores de Stalin e Oscar Wilde[editar]

Nos anos 70' um bando de retardados, amigos de Oscar Wilde, resolveram fazer uma guerra porque estavam cansados de chorar, então montaram armaduras de couro com espinhos de metal (segundo Clodovil ficaram muuuuutio bre-gás!) e pegaram suas guitarras e sua falta de talento musical e fundaram o Movimento Punk, com pactos satanistas drogas e putaria. Com sua maior arma, a falta de noção, foram liderados pelos Sex Pistols que foram sucedidos pelos Punks de moicano cor de rosa os Gayks.

Nessa guerra totalmente sem sentido (como tudo no movimento punk, incluindo a música) os punks expulsaram todos os dentistas, bixinhas e indies do Reino Unido. Mas a rainha da Inglaterra, aliada de Adolfinho e dos Smurfs conseguiram vencer os punks com uma bomba de sabão, granadas de desodorante e uma boa dose de Música Erudita.

Mas os dentistas e a pasta de dente não foram salvos da ira dos Sex Pistols e nunca mais foram vistos.

60px Inglaterra
HistóriaPolíticaSubdivisões
GeografiaEconomia
CulturaTurismo