Jogos da Copa do Mundo FIFA de 2014

De Wikimerda
Ir para navegação Ir para pesquisar
v  d  e h
ARTIGO COMPLEMENTAR
v  d  e h
Banheiro sujo.jpg
Não entende este artigo? Leia o artigo Copa do Mundo FIFA de 2014 para ver sentido e volte aqui pra dar risada


331px-Longcat.jpg Prepare-se para ler:
Esse artigo é maior que o seu cu e pode causar cegueira.
Pense duas vezes e não seja tão idiota antes de ler algo assim

Brasil x Croácia[editar]

Cláudia Leitte esbanjando beleza!

Os dois times entraram e não demorou muito para vermos que a seleção da Croácia não pode nem dançar o créu, porque é muita falta de habilidade para um só time. E a seleção brasileira parece que entrou dormindo e que estava com preguiça de jogar, parecia que tinham comido uma feijoada. Dormindo também estava o jogador Marcelo, que não demorou muito para deixar sua marca e fazer o primeiro gol da partida... contra! É isso mesmo, o primeiro gol foi contra. Depois de tomar o primeiro gol todo mundo acorda, até eu acordei, pois na segunda vez no jogo eu ouvi o nome do Neymar, que aproveitando a falta de créu dos adversários, empatou a partida (a primeira foi a tentativa de asassinato feita contra Modric.

Filmagem recente mostra que sim houve pênalti.

Fim do primeiro tempo, início do segundo, e parece que a soneira piorou e pegou em todo mundo, inclusive no árbitro japonês, que já parece por natureza estar dormindo, e que dormiu mesmo, ao marcar um pênalti para o Brasil que nem ele mesmo viu (acho que ele so quis dar mais emoção ao jogo). Continuando a crise de sono dos brasileiros, mesmo após os brasileiros virarem o jogo, os croatas foram a procura do empate, mas não era o dia deles. Em uma jogada bizarra até empataram, mas o gol foi anulado. Por que 7? Porque o árbitro estava dormindo e não viu a jogada. Daí em diante só tentativas frustradas. Já no fim, para acabar de matar o jogo, Oscar marca e acaba com aquela correria de acréscimos (já reparou que fim de jogo vira aquela loucura?). Certeza que ele fez isso por bondade, para fazer com que os croatas não precisassem mais correr durante os minutos finais, já que agora estava tudo perdido mesmo. Acho engraçado, dormem o jogo todo, não fazem nada, e querem ficar correndo atrás de tudo nos últimos dois minutos.

Enfim, o jogo foi péssimo, estava melhor que música clássica para domir e a arbitragem dormiu mesmo. Não querendo que o Brasil perca, mas se não fosse aquele senhor de instrumento pequeno (estou me referindo ao apito), os canários poderiam ter passado um grande vexame logo na estreia.

Foi pênalti, Claro![editar]

O momento exato da falta. Colocando na balança que o jogo inteiro tava roubado esse lance gravado também pareceu comprado.

Que o atacante Fred foi um dos personagens da vitória do Brasil sobre a Croácia, por 3 a 1, ninguem duvida. Para os rivais e grande parte da mídia internacional e extraterrena, ele cavou pênalti inexistente, que foi convertido por Neymerda e garantiu o gol da virada em Itaquera. Um dia depois, a entidade brasileira gravou vídeo para que ele comentasse o lance no qual jurou ter sofrido falta do zagueiro Dejan Lovren na área.

Cquote1.png Foi pênalti claro. Não existe mais pênalti, meio pênalti ou menos pênalti. A Fifa mandou a comissão de arbitragem, chefiada por Mister Magoo aqui para orientar todos os jogadores, fez isso com todas as seleções, para não ter agarra-agarra na área a não ser nos vestiários, que os árbitros iriam dar pênalti. Naquele lance, dominei a bola com a (perna) direita, já para girar com a esquerda, alguma coisa me atingiu e sofri uma desequilibrio, perdi o alcance da bola. Aquilo ali me desequilibrou, eu caí Cquote2.png
Defendeu-se, ironicamente, o camisa 9 brasileiro

No video gravado pela CBF, podemos verificar que foi asesorada por diversos sites futebolísticos famosos por sua insensão.

México x Camarões[editar]

Jogador camaronês antes da partida.

México convida, antes da partida, o trio de arbitragem para tomar uma tequila marvada, resultado: a equipe mexicana entra em campo doidona com porre na cabeça e fazendo a cima de tudo eles confundirem os esportes e em vez de jogar futebol iniciaram uma lucha libre contra negros de 3 metros de altura, que estavam mais querendo é escutar reggae e ficar só de boa, fazendo assim o que era pra ser apenas uma partida chata, virou uma luta chata.
Cquote1.png Que coisa chata! Cquote2.png
Você sobre, de uma partida chata, ter virado uma luta chata
A partida começa, mas nem parece que começou para a equipe camaronesa que devia ter fumado uma ervinha na paz, e os mexicanos embriagados, se achou isso ruim? É que não viu a arbitragem que devia estar embriagada e fumada ao mesmo tempo, vendo elefantes rosas e linhas imaginarias o que explica impedimentos que não existiram. Acredita-se que isso tudo faz parte da conspiração sionista-judaica-cristã-conservadora-capitalista de comprar e garantir a Copa do Mundo para o Brasil para que o povo surpreendentemente vote mal nas eleições de outubro porque um time de futebol foi campeão, e portanto o Camarões por ser fraco deve ser beneficiado... mas voltando ao jogo... estava chovendo pacas.
Cquote1.png Não era jogo do Corinthians então eu nem fui, ainda bem! Cquote2.png
Cascão
Depois de 3 gols anulados a equipe mexicana passa por debaixo da perna da zaga de 3 metros de altura, tendo em vista que os mexicanos tem a média de 1,2 metros de altura, e em um rebote o jogador peralta faz o gol deixando os blackpowers com cara de bunda. Depois disso os blackpowers acordam, mas não muda nada, continua o mesmo cu, placar final 1 á 0 para nachos libres.

Holanda x Espanha[editar]

Resumo

Como é de praxe, a Holanda mais uma vez deu espetáculo num jogo de Copa do Mundo, num momento em que não foi a final, apenas aguardando a hora certa de amarelar (não é à toa que a seleção neerlandesa cogita guardar o terceiro uniforme, o amarelo, para a final, caso cheguem). A Espanha por sua vez entrou com ritmo de treino, pois querem classificar em segundo do grupo para enfrentar a Croácia que acreditam será a primeira do Grupo A. O jogo começou morno, como teoricamente sempre é, a diversão ficou por conta da música oficial da torcida brasileira espanhola ao coro de Diego viado! que claramente abalou o jogador sergipano traidor da pátria que adotou como tática ficar plantado na banheira, e estragar várias jogadas ficando impedido de propósito. Apesar do clima morno (e chato pra caralho), o começo foi tendo gradualmente lances perigosos de destaque, onde Diego Costa e David Silva ficaram cara-a-cara com goleiro umas 5 vezes. Mas como estavam pensando nas prostitutas brasileiras, e com piriri por causa do acarajé que comeram antes do jogo, demoravam para concluir a jogada. O primeiro gol do jogo veio graças a um pênalti roubado (mais outro nessa copa), onde o zagueiro holandês veio igual um caminhão sem freios: descendo a ladeira, saiu escorregando e passou o rodo em Diego Costa, pênalti que Xabi Alonso converteu. O jogo foi travado até o final do primeiro tempo, quando após uma bicuda pra frente da Holanda (a tática eterna da Holanda), Van Pussy fez um belo gol de golfinho.

Robben após deixar Casillas de quatro fazendo o mesmo drible de sempre para esquerda.

No segundo tempo, veio a chuva e os holandeses finalmente sentiram-se em casa quando o campo encharcou igual os canais de Amsterdã. Aos 10 minutos, Robben fez sua jogada mais viciada, previsível e que todo mundo cai mesmo assim por estarem distraídos demais com sua careca ofuscante: drible pra esquerda e chute pro gol. A Espanha achou aquilo muito estranho, eles nunca perdem (de acordo com eles mesmos), e começaram a se perder, sem saber o que fazer. Aquele placar significava que eles não poderiam mais ficar cozinhando a bola na zaga e chupando tic-tac (aquela balinha). Alheios a essa confusão espanhola, a Holanda deitou e rolou, primeiro com Van Persie que até acertou uma bicuda no travessão. Casillas então, vendo que já estava tudo perdido, decidiu recordar-se dos fiascos de 2002 e 2006 e lembrou que tem mão de alface (ou rúcula, não sei se existe alface na Espanha), e saiu extremamente mal do gol durante uma falta de cruzamento, o que serviu para De Virgem fazer um gol de nariz.

Diego Costa, de tanto que foi hostilizado, deu lugar a algum jogador aí que nem sabemos o nome porque ele nem triscou na bola, e que ao invés de mudar alguma coisa continuou ficando impedido, até marcando um gol anulado nestas condições. Do final do segundo tempo em diante, a Espanha desistiu do jogo e vai se concentrar em vencer os cangurus e os marrentos e parou de jogar futebol, logo Casillas espanou o taco após um recuo e entregou o ouro para Van Persie, ficando com cara de bunda. Com o resultado já sacramentado, Casillas, que foi o nome do jogo pela Espanha, estava cheio de marra e foi dançar esfregar a cara no gramado enquanto Robben caminhava com a bola antes de marcar o quinto gol. A Holanda ainda perdeu a chance de fazer 10 a 1. Como Fernando Torres estava usando um chinelinho e não uma chuteira, no único lance perigoso que a Espanha construiu no segundo tempo, um enorme gol à frente não foi rápido pra concluir com a desesperada Holanda, que chutava a gol de qualquer lugar que pudessem.

Chile x Austrália[editar]

Eles bem que tentaram, mas não foi dessa vez

Fechando a rodada do grupo B, após a grande diversão na goleada da Holanda, tivemos um jogo bem menos interessante badalado. Chile e Austrália, os até então cogitados a serem os eliminados do grupo, surpreenderam em um disputadíssimo e imprevisível jogo. De início, a animação para acompanhar esse jogo era digna de ligar a TV e ir fazer qualquer outra coisa, o jogo seria um grande plano de fundo. Mas não demorou muito para surgir o primeiro gol do Chile, e em seguida o segundo, o que já deixava um ar de mais uma goleada no lado B grupo B. Confesso que já ia até preparando a desnotícia antecipada da goleada chilena, quando de repente, em um único lance em meio à pressão chilena, os Cangurus chegaram lá e diminuiram o placar. O lance nem precisa ser descrito, pois eu não vi como foi obviamente foi um gol ao melhor estilo australiano: uma bicuda pra frente, e um cara gigante (que por sorte fica com a bola) marca de cabeça; isso facilitado pelo fato de o forte dos chilenos não ser bem a altura. Parece que o gol foi um tiro no rabo nas pernas dos chilenos, pois daí em diante eles morreram em campo.

E morrer em campo aos 30 minutos de jogo é o mesmo que perder a vida pedir para perder. Os cangurus foram à luta para tentar o empate, chegaram quase lá, gol impedido, bola fora, toque errado... e então, os chilenos foram salvos pelo apito do fim do primeiro tempo. O segundo tempo começou tão corrido quanto o primeiro, mas dessa vez só os australianos estavam correndo, e os chilenos continuavam mortos. Os cangurus só não chegaram ao empate, pelo mesmo motivo que os croatas perderam do Brasil: falta de créu. Sabemos que, infelizmente, força de vontade não ganha jogo, e dessa forma a Austrália perdeu. Pra finalizar, e matar o jogo de vez, o Chile ainda despertou (já nos acréscimos) e marcou o terceiro gol, acabando com a incerteza da partida. No fim das contas, o grupo B dá um baile no grupo A no quesito emoção, e colabora para que nosso plantão fique um pouco menos monótono!

Grécia x Colômbia[editar]

Panagiotis Kone, o símbolo da aplicação tática de posicionamento estático do time grego.

Colômbia e Grécia fizeram um desses jogos ignorados de Copa do Mundo que só quem é colombiano poderia se interessar. Afinal, para os gregos, a língua portuguesa é tão confusa quanto o grego é confuso para nós, e portanto, eles estão perdidos no aeroporto da capital da roça, porque não havia grego algum no estádio. Sem mencionar o fato de que a FIFA proibiu a entrada no estádio com pratos, o que desanimou muitos europeus de vir ao estádio. O time grego veio com sua tradicional formação 10-0-0, povoando a própria área com pelo menos 8 zagueiros a cada momento em que os colombianos pegassem a bola, enquanto a Colômbia assumiu o esquema tático de carrossel colombiano (ou desorganização colombiana), onde seus jogadores corriam feito malucos sem posição fixa. Neste duelo de peculiaridades táticas, prevaleceu primeiro a Colômbia com um gol aos 5 minutos de jogo, graças a um chute cagado mascado de Pablo Armero, que comemorou o gol com armereition (uma dança que imita um ataque epiléptico).

Como os gregos não entendem direito das regras, pois o manual de regras está escrito em inglês que para eles é um idioma tão confuso quanto o grego é para nós, mesmo após o gol sofrido continuaram agindo como se nada tivesse acontecido. Ou seja, mantendo o esquema tático com mil zagueiros e lentos toques de bola, sem a mínima movimentação, o que deixou um atacante isolado tendo que resolver tudo sozinho. Podemos dizer que o segundo tempo foi inexistente neste embate entre uma Grécia perdida, que não sabe como fazer pra atacar, contra uma Colômbia que só sabia dar bicuda pra frente e estava satisfeita com o placar magro. Mas como estamos falando da fraca Grécia, mesmo assim a Colômbia conseguiu aumentar com cobrança de escanteio de Teófilo Gutiérrez. O segundo tempo inteiro foi cozinhado, e quando os gregos já haviam desistido e começado a andar em campo, ainda houve gol de um desconhecido no último lance da partida, decretando assim o 3 a 0. Afinal, colombianos são todos iguais.

Uruguai x Costa Rica[editar]

E a zebra deitou e rolou!

Estamos aqui com mais um jogo dessa nossa Copa, agora pelo grupo D. A partida de hoje, entre Uruguai e Costa Rica, já começou como sendo a partida dos perdedores e eliminados; considerando que no mesmo grupo temos a Itália e a Inglaterra, que na verdade há muito tempo já não fazem grande coisa, mas são sempre favoritos até que passem algum vexame, como na Copa passada. Enfim, o confronto entre os perdedores também não parecia ser nada interessante, afinal, há uma gradatividade, não é só ser perdedor. Temos os mais perdedores e os menos perdedores. Dessa forma, o Uruguai, que é menos perdedor, era o favorito a não só ganhar, mas também ganhar com muita facilidade da Costa Rica, que coitada, não tem muita fama. Dos 22 jogadores dessa tímida seleção, apenas 7 jogam em seu país (o que no final das contas é até bom). Vamos ao jogo. O primeiro tempo começou bem morno, aliás, quase gelado, parecia aqueles jogos de comadre daqueles times na última rodada do campeonato, que se joga só pra cumprir tabela. Depois de muito tempo na mesma chatice, acaba surgindo um pênalti para o Uruguai. Por incrivel que pareça (e apesar da péssima atuação do jogador que sofreu o pênalti), o árbitro estava bem acordado, e viu que de fato houve a falta. Detalhe: esse é o primeiro pênalti realmente existente nessa Copa.

O ditador Uruguaio José Mujica e seus irmão gêmeos assistindo o jogo

Após o gol desse pênalti que caiu do céu, o Uruguai voltou a fazer o que estava fazendo até então: nada! marcar o adversário sem sair muito para o ataque. Seguindo essa mesma lógica, a Costa Rica, que também não fazia grande coisa, resolveu arriscar, e... o jogo tava ficando interessante, quando acabou o primeiro tempo. O segundo tempo começou com tudo! Os uruguaios continuaram a fazer o de sempre (só pra lembrar: o que o peixe faz!). Mas os costarriquenhos arrasaram, e marcaram o primeiro gol tão rápido, mas tão rápido que eu ainda nem tinha reparado que o segundo tempo havia começado, portanto, foi mais um gol não visto por imaginar o tédio que seria. O primeiro gol mal foi digerido (sim, foi uma grande surpresa) e veio logo o segundo, para deixar os uruguaios ainda mais com cara de besta. A partir de então, só deu Costa Rica, deram um show, só não foi goleada porque convenhamos que a habilidade deles também não é das maiores. De qualquer forma, deixaram nossos vizinhos no chinelo e surpreenderam. Afinal, eles já entraram perdendo! No fim do jogo, ainda teve mais um, só para acabar de aniquilar! Muitos riram com a declaração do técnico costarriquenho, que disse que atrapalharia dois dos campeões do grupo, e agora podemos ver que ele estava certo! Bye bye Uruguai, nos vemos na próxima Copa (ou não)! Itália e Inglaterra que se cuidem, pois a zebra está solta!

Inglaterra x Itália[editar]

Estádio que o Galvão achou bonito...

Jogo em Manaus começa bem maus (que trocadalho!), cheio de cruzamentos falhos e ainda por cima com um pedido de pênalti do negão inglês, além do goleiro imóvel da Inglaterra que consegue estar sempre onde a bola vai cair, até o gol italiano finalmente sair da azeitona da pizza e assustar o chá das cinco que os ingleses estavam fazendo. Enquanto parecia estar tudo perdido para os inglas, Rooney, mesmo morrendo, deu uma assistência linda para o negão Sturridge, que deu um baile no goleiro italiano. Mas o melhor momento do primeiro tempo mesmo foi um jumento da comissão técnica inglesa que se machucou ao comemorar o gol, o que lembrou o juiz de ver se os jogadores estavam bem nesse calor do cão. Depois disso, houve muitas ameaças da Itália para um segundo gol, o goleiro permaneceu estático e os zagueiros embriagados, mas nenhum no nível da defesa australiana, quando um canguru tirou a bola de sua rota pro gol no último segundo e evitou que a penetração ocorresse. Porém, nesse primeiro tempo ainda teve umas boas defesas inglesas, como a maravilhosa cabeçada pra fora (ui!) de um jogador que ninguém viu quem era. No segundo tempo, Balotelli faz o gol da vitória e deixa os ingleses, a maioria da torcida, com cara de cu. No meio de tudo isso, entrou o brasileiro Thiago Motta, que incrivelmente não foi vaiado pelos BRs por sua traição, e saiu o Verratti.

Super Mario Balotelli, a figura azurra

Então, os ingleses tentam alguns cruzamentos (piores que os do primeiro tempo), com destaque para um chute torto horrível de Rooney, que prova que está morrendo em campo e que tem que se aposentar imediatamente. Antes do fim, os italianos estavam brincando de passe, e acabaram dando diversos olês da torcida para os ingleses, que já estavam sem força nenhuma, inclusive o Rooney, que já começou mal. O jogo terminou com os italianos vitoriosos e se gabando, mas mesmo assim, não estão na frente da Costa Rica pelo saldo de gols menor, gerando a maior zebra da história das copas do mundo, em que os costapobrenhos ficaram na frente de 3 campeões mundiais, e de quebra esculhambando um deles em um jogo bizarro. Durante o jogo inteiro, Casagrande estava aparentemente bêbado e falava como se tivesse morrendo: parece que a Globo vai precisar de mais comentaristas em pouco tempo. Galvão disse que o grupo da morte deu zebra umas trezentas vezes e fez os telespectadores quebrarem a TV (isso se já não tivessem quebrado antes com a voz horrível do Casagrande) quando ouviram o histórico "Pode isso, Arnaldo?" que o Galvão estava prestes a dizer... mas disse errado! Um "Arnaldo, isso pode?" foi soltado, o que parece ser uma referência à Rússia entrando na copa, mas um "A regra é clara..." do Arnaldo Coelho salvou os ouvidos e corações do público.

Japão x Costa do Marfim[editar]

Japao costa do marfim.jpg
Seleção japonesa não resistiu contra as bolas dos marfinenses.

No duelo de hoje a grande questão era: tamanho importa!? E pelo visto sim, pois a seleção de Motumbo enrabou os pequeninos japoneses, que mais pareciam chaveirinhos perante os africanos. Para que os japoneses não tivessem que acordar na madrugada para assistir a mais um vexame de sua seleção, o grande duelo entre Japão e Costa do Marfim foi realizado na noite (no Brasil), atrapalhando os planos de lavagem cerebral da Globo, que teve que adiantar e encurtar a transmissão de mais uma de suas novelas famosas pelos conteúdos cotidianos plenamente críveis. Não se sabe ainda quem permitiu caxirolas e vuvuzelas pro estádio, mas estava uma barulheira animada, ao contrário do jogo em si. Como o ritmo parecia de uma macumba daquelas brabas de Exu, acredita-se que os responsáveis por esse som fossem os marfinenses.

No Grupo C desta copa, a questão não é decidir os dois melhores para classificar, mas sim os dois piores para serem eliminados. Cientes disso, japoneses e marfinenses entraram em campo com a intenção de fazer um jogo fraquíssimo tecnicamente, e não falharam em seus papéis, dando um show de erros de passes, conclusões, posicionamentos e iniciativa de ataques. A tática vitoriosa da Costa do Marfim foi basicamente vestir um uniforme vários números menor que o tamanho de seus corpos, para tentar impressionar os japoneses com o tamanho bombado de seus bilaus peitorais e abalar a moral dos japoneses, que já são tão avacalhados por causa de seu tamanho. Porém, aos 15 minutos prevaleceu a tecnologia japonesa quando Honda (não o carro, e nem o gordão do Street Fighter)... você achou que ele era humano? Claro que não, com um cabelo daqueles cor-de-burro-quando-foge-do-brejo só pode ser algum tipo novo de tecnologia de ciborgues japoneses. Ele aproveitou talvez a única chance do jogo, que era mais ou menos clara de se chutar: para onde o pé estava virado, que por sorte era o gol.

Quando a partida já estava emocionante eis que surge a Equipe Rocket.

O restante do primeiro tempo foi tão sem graça, que foi sofrível para quem não tem os olhos fechados (como os japoneses, já acostumados). Quanto ao segundo tempo, sabe aquelas partidas de segunda divisão tipo ABC X Bragantino que você talvez assista por mero acidente? Então, o segundo tempo foi aquele jogo feio até os 15 minutos, quando Drogba foi chamado a entrar no jogo. A estrela marfinense começou no banco, porque experimentou antes da partida uma especiaria local que para os padrões de seu país natal é considerada leve: uma simples buchada de bode, o que lhe causou mal estar e desarranjo intestinal. Mesmo assim, a coisa estava tão feia que ele precisou entrar e, mesmo apesar de não fazer nada pela sua seleção (como sempre), os japoneses sentiram a presença de Drogba e deixaram todos outros jogadores adversários desmarcados, o que custou a vitória dos samurais pikachus. A macumba das arquibancadas deu certo, pois primeiro Wilfried Bony empatou para os marfinenses com gol de cabeça de cruzamento vindo da direita, e depois, num deja vu, Gervinho (que nome é esse!?) virou o placar, dessa vez com direito a mão de alga que enrola sushi (não existe alface no Japão) do goleiro Eiji Kawashima.

Suiça x Equador[editar]

É uma boa hora para a zebra passar!

Em mais um jogo entre os pobres menos badalados da Copa, agora entre Equador e Suíça, não tivemos grande coisa. Já era mais ou menos o tipo de jogo esperado. Parado, monótono, chato e todos os sinônimos disso aí. O que realmente foi de surpreender, é que os suíços estavam bem dispostos em campo, ao contrário dos equatorianos, que pareciam ter entrado com a mesma preguiça que o Brasil na estreia. A torcida suíça era bem minoria, mas pareciam também mais animados (mas também, eles já devem estar acostumados a ver jogo ruim). Parece que a animação suíça a princípio não rendeu muita coisa, pois quem abriu o placar foi o Equador. Cobrança de falta e gol de cabeça, não dava para esperar muito mais que isso de acordo com o andamento do jogo. Daí em diante, já com a vantagem no placar, os equatorianos se preocuparam menos ainda e continuaram a embaçar o jogo, até o fim do primeiro tempo.

No segundo tempo, a coisa não foi muito diferente. A única diferença é que, logo no começo, os suíços empataram a partida, num gol idêntico ao do adversário. E então, continuou a santa correria da Suíça e a preguiça dos equatorianos. Parecia mesmo que todos estavam bem satisfeitos com o empate e pra esse grupo E já basta também (é muito time ruim num só grupo). Mas a disposição digna de dançarinos de créu dos suíços foi recompensada. Os bons conhecedores de relógios contaram bem os últimos segundos, e quando os equatorianos acharam que o jogo já havia terminado, viraram a partida. Calou-se o estádio. O primeiro empate na Copa do Mundo aconteceria neste domingo, em Brasília, mas só para dizer que o jogo dos pobres não tem a menor graça e que todos já sabiam que seria isso mesmo, os suíços foram mais empolgados em campo, e largaram na frente do Grupo E. Apesar das mais de oito mil da variedade de línguas dos suíços, era possível traduzir apenas o espanhol, sílaba por sílaba: "Perdedores"!

França x Honduras[editar]

Seleção de Honduras ficou parada, olhando a França brilhar.

O jogo começa ao maior estilo GTA Brasil: roubando táxi, roubando dignidade, roubando coxinha, roubando banco, mas acabaram roubando a caixa de som deixando as francisquetes revolts sem seu belo hino. O jogo pelo visto já começa bem... bem mal, isso sim! Para vencer, os franceses usam sua famigerada tática de ficar 3 semanas sem tomar banho, assim a zaga hondurenha não suportou o odor exalado por aquela equipe, dessa forma foi provado que a Seleção de Honduras (por incrível que pareça) é menos máscula que a francesa, fazendo dessa a partida mais feminista do grupo E, talvez até de toda a copa. Depois de 35 bolas no travessão, um jogador hondurenho enlouquece e destroça a linda pétala francesa, expulsando o jogador hondurenho dentro da área... e o que o juiz marcou? Isso mesmo, pênalti! Pênalti que Benze-má converteu.

No intervalo, a seleção hondurenha coloca um grampo no nariz, fazendo assim a marcação ficar mais forte, e os jogadores franceses aproveitam, além da marcação tipo com dois em cima ser claramente a preferida por franceses. Não dá 5 minutos, Benze-má faz outro gol. Quer dizer, o goleiro faz um gol ao maior estilo Marcelo e Croácia. E pra acabar, os franceses já jogando no "ain não me tooque"! Mandam uma bica pra frente, e no segundo rebote, Benzii malvada faz um gol dedicado a Joana D'arc e finaliza o jogo, com 3 a 0 pra nossa tão fedida {{{2}}}.

Argentina x Bósnia[editar]

Figurinha da equipe completa da Argentina.

Ninguém era capaz de adivinhar como isso foi possível: a Argentina ganha na Bósnia (me desculpe esse trocadilho). Antes da partida, houve uma disputa Messi vs. Bósnia e Herzegovina em campo? Não, na cama mesmo, curtindo o Rio de Janeiro na paz, dando inspiração ao nosso craque que em campo aplicou o que aprendeu com a Bósnia e a Herzegovina na cama. Depois de uma noitada agitada, a Argentina parte pro jogo com ressaca, já a Bósnia bem animada... na verdade, animada até demais. Tão animada, mas tão animada que iniciou o jogo fazendo um gol contra. Contra a corrupção, contra os protestos e contra a chance de ganhar a partida. Não vou falar que o nome do cara que fez o gol contra é Sead Kolasinac (é isso aí, podem bater nele).

Depois de muita pirocada na cara da Argentina, los hermanos finalmente conseguem passar a bola pro Messi (que ainda não tinha tocado nela) e ele inventa uma jogada bastante "original", que consiste em andar 1300 metros e driblar 20 pessoas, fazendo um puta golaço e penetrando fundo na retaguarda da Bósnia e Herzegovina (agora eu tô falando do jogo). Restando 15 minutos pra acabar o jogo, a Bósnia faz um gol, e no final quem achou que a Bósnia não tinha mais chance de empatar, acertou! Terminou de 2 a 1 para los hermanos, a maior zebra de todas. Só uma pessoa apostou na Argentina (o Papa Francisco), o que explica a vitória da Argentina: foi um milagre enviado pelo santo papado para que o time tivesse a benção divina. E eu achando que Deus era brasileiro...

Espanha x Portugal[editar]

Cadê meu pênalti, seu filho da puta????
Dom João VI revirou-se no túmulo após o vexame lusitano.

O jogo que prometia ser um dos mais acirrados da Copa acabou em um fenomenal vexame para os lusitanos, que acabaram enfrentando ninguém mais, ninguém menos que a Seleção Alemã de Futebol. Cristiano Ronaldo, atual campeão do mundo, jogou com o elenco do bacalhau mas isso não adiantou de nada, pois o mesmo só chutou pro jogo uma vez (e errou). As coisas até começaram razoavelmente bem, com Portugal jogando no lado sombreado do campo, e com a esperança dos alemães branquelos torrassem sobre o sol de Salvador. Eis que o juiz sérvio, com cara de estar puto por seu país não estar na Copa, deu um pênalti a favor dos alemães.

Thomas Müller abriu o placar, deixando Pepe, o grande personagem desse jogo, nervosinha de raiva. Tentando matar impedir os alemães de marcarem mais, Pepe arranjou muita confusão. Após levar mais um gol, Pepe inteligentemente arrumou briga de graça (até ser expulso), e acabou fudendo Portugal por todo o resto do jogo. Tomando mais uma antes do final do 1º tempo, Portugal viu-se tomada pelo desespero diante do avanço do Terceiro Reich sobre seu campo. No segundo tempo, vários portugueses e alemães apanharam e se machucaram. Cristiano Ronaldo estava mais preocupado em se olhar no telão do estádio que diminuir o massacre. Por piedade, os alemães apenas fizeram um gol, mas nem por isso a humilhação foi menor, no mesmo estádio onde os holandeses atropelaram os toureiros, vizinhos dos gajos.

Irã x Nigéria[editar]

Iranianos e nigerianos procuram a bola. Não a encontraram em 90 minutos.

Existe futebol no Irã? Ou só aquela opressão xiita mesmo? E na Nigéria... será que existe futebol? Ou só aquela miséria e fome? Porque o que os paranaenses acompanharam hoje no confronto entre Irã e Nigéria é muito difícil ser chamado de futebol. Nem o jogo mais horrível e despretensioso de uma série C entre dois times eliminados (tipo Guarani x Macaé) seria tão ruim. Independente do país, cada jogador que chegava na bola simplesmente não sabia o que fazer, até que em algum momento alguém deu um chutão pra frente, e a partir de então os outros jogadores entenderam que aquilo era futebol. A partida em si foi um festival roceiro de chutões pra frente, chutões pro alto, bicudas pro lado e etc.

O primeiro tempo teve um ligeiro domínio nigeriano e um Irã perdido, que só por acidente teve a única chance da partida numa cabeçada. Afinal, após tanto chutão pra frente, a probabilidade anunciava que pelo menos uma vez a bola poderia esbarrar na cabeça de algum atacante, e por acidente ir em alvo do gol, mas o goleiro pegou. Respeitando as tradições do bom futebol africano em perda sistemática de gols, em menos de 10 minutos os nigerianos já mandaram dois chutes pra fora, e assim continuaram errando nas raras chances que vislumbraram. A preocupação de ambas era a de não tomar gols, talvez pelo fato de que ambas seleções são acostumadas a humilhações e derrotas grotescas com placares elásticos.

No segundo tempo, ao descobrirem como seria vantajoso o benefício mútuo de um não fazer gol no outro, logo as duas seleções decidiram que iam terminar num empate de zero a zero, e para tal começaram deliberadamente a errar passes, dar chutões pra frente, bater escanteios rasteiros horríveis, fazer faltas em meio-de-campo ou correr com a bola sem objetividade nenhuma. Porque, creio eu, jogadores ditos profissionais não podem jogar tão mal assim, se não for deliberadamente. O chute mais perto do gol que se viu, por exemplo, foi o do atacante iraniano Alireza Jahanbakhsh, que passou a 30 metros de distância das traves nigerianas. Já a chance mais clara da Nigéria não veio, até porque ela nunca aconteceu.

EUA x Gana[editar]

Americanos e ganeses confundindo o esporte

Após a enrabada que os portugueses tomaram dos alemães (que foi bem grande), tivemos o outro jogo do grupo, que incluía as duas equipes candidatas a serem eliminadas logo na primeira fase. Mas, vendo que os portugueses só fizeram merda, todos entraram logo cheios de disposição mas sem nenhuma habilidade para vencer e fazer com que a vergonha portuguesa seja ainda maior. A disposição foi tanta, que o primeiro gol da partida veio logo aos 27 segundos: foi tão rápido, que parecia que não tinha nem acontecido, pois o primeiro tempo da partida foi extremamente monótono. Os norte-americanos estavam agindo como se só quisessem um empate mesmo, e os ganeses estavam dormindo. Parece que eles achavam que estavam praticando alguma arte marcial.

O momento do jogo.

Os momentos mais emocionantes da partida sempre envolviam alguém ficando sem a perna ou sem o nariz. Além de o fato, claro, de que os americanos estavam morrendo em campo (talvez por isso não estavam muito a fim de correr). Todo mundo estava se machucando, acho que isso era só pra poder ficar sentado naquele banco, na sombra, enquanto os companheiros ficavam lá torrando no sol do Nordeste. Para não dizer que o jogo fora tão ruim quanto Irã e Nigéria (até porque se tivesse sido, podia acabar com a Copa mesmo), o segundo tempo do jogo chegou para compensar um pouco a ruindade do primeiro mas não deixou de ser ruim. A diferença básica é que teve gol. Gana empatou o jogo, mas felicidade de pobre dura pouco, então logo levaram o segundo gol e perderam. Foi uma grande vergonha porque perderam para um time morto em campo, mas já foi melhor que Portugal: pelo menos foram machos e não tomaram de quatro.

Brasil x México[editar]

Nem precisa legenda

No jogo mais esperado do grupo A, não tivemos tanta emoção quanto se imaginava. Para falar a verdade o jogo foi uma merda. O Brasil não jogou nada, o México também não, mas mesmo assim ainda assustou muito mais que o Brasil. Brasileiros e mexicanos não mereciam um empate por 0 a 0. Mereciam nem ter placar, ou ter placar negativo, de tão fraca que foi a partida. Nem o zero consegue ser justo para representar a porcaria que foi esse jogo. O Neymar até que tentou, mas seus companheiros estavam pensando na morte da bezerra. O Fred deveria ter sido denunciado, pois nem pagou ingresso e assistiu o jogo em um lugar privilegiado, dentro da área mexicana, sempre em impedimento (só para variar). Taticamente falando, o time do Chaves foi muito superior, mas como tática, estatística e toda essa papagaiada não ganham jogo, eles não ganharam. E convenhamos que também faltou muita Putaria (quem sabe ficaria mais fácil se eles arrumassem uma Quico?). Agora o Brasil, foi totalmente vergonhoso.

Pelo menos alguns torcedores foram cumprimentar Galvão Bueno durante a partida.

Enquanto no México se procura o melhor em campo, no Brasil se procura quem foi o menos pior, pois se for procurar o pior, vai ter uma disputa muito acirrada. E nem pense em dizer que foi ruim devido à falta do Hulk, até porque para ser bom, o Hulk ainda precisa amadurecer muito (kkkk, tá bom, foi péssima!). Convenhamos que o Ramires não é o que se tem de melhor, mas não importa, pode ter um pedaço de madeira lá parado vai ser melhor que o Ramires, se eles jogassem bem, já iam... não sei... iam! No fim das contas, o torcedor merecia mais... Pagar caro em um ingresso pra ver aquilo... Tá certo, teve alguma emoçãozinha, mas ver o goleiro mexicano fazendo algumas defesas incríveis não salvou a parada. O pior de tudo é ver a entrevista técnica no fim do jogo. O técnico Felipão, educado como uma égua, diz que quem cuida do time é ele, quem faz as escolhas é ele, e pra ele o jogo foi uma maravilha, e na cabeça dele o Brasil vai chegar assim na final. Vai lá Felipão: vamos continuar aqui com todas as partidas para ver até onde a seleção vai chegar com esse cabeça dura no comando, quero dizer, com esse técnico.

URSS Rússia x Coreia do Sul[editar]

A torcida super animada da última partida da rodada

O fechamento da primeira rodada daquele jogo de futebol entre equipes no lugar da casa onde se come (segundo a FIFA ninguém pode falar Copa o nome). Para fechar com chave de ouro, ou melhor, com chave de palha, tivemos talvez o pior jogo da rodada toda. Rússia e Coreia do Sul colaboraram para deixar a Copa ainda mais monótona e menos interessante. O grande mundial que havia começado recheado de gols, agora conta com empates, um mais infeliz que o outro. A FIFA até tentou, colocou um jogo da segunda rodada antes para ver se melhorava um pouco. O problema foi que o tal jogo (o do Brasil) já não foi aquela coisa toda, aliás, foi tão ruim quanto, ou ainda pior. Convenhamos que ninguém espera muito desses países que nem sabem o que é bola. Agora do Brasil, muito se esperava e foi uma grande decepção. Enfim, voltemos ao jogo. As duas equipes fizeram um jogo de pouca criatividade, principalmente no primeiro tempo, que na verdade foi um jogo de trapalhadas, só riso mesmo.

Cquote1.png Acha que um abraço vai me comprar? Sai fora, não sou teus traveco não! Cquote2.png
Fuleco

A segunda etapa foi mais movimentada, e com a movimentação, as trapalhadas também aumentam: e assim surgiu o primeiro gol da Coreia, com um grande frango do goleiro Akinfeev (que nome é esse?). E os russos empataram logo em seguida, após uma jogada insistente na área, que foi também um show de trapalhadas da defesa com o goleiro. Os sul-coreanos mal abriram o olho o jogo todo, mas naquele momento acabaram de fechar de vez. A jogada foi tão impressionante que nem os próprios russos acreditaram que aquilo lá tinha resultado em um gol. No fim das contas, foi o fim da rodada (eu me recuso a falar qualquer outra coisa relacionada a esse jogo, foi péssimo, só isso!). O grupo da Rússia é sem dúvida o pior grupo da Copa, não dá para esperar muito deles mesmo.

Mas cadê o Fuleco?[editar]

A nação inteira eaz um minuto de silêncio (ou não) pelo até então mascote da Copa, o traveco Fuleco, que recentemente virou saco de pancadas de um jornal alemão, o qual achou que a tradução de seu nome era ânus. De tanto ser escondido, traficado e pressionado pela FIFA (além de sofrer preconceito por ser da catinga caatinga nordestina), o massacote acabou pedindo pra sair. Segundo uma entrevista com o próprio, Fuleco desabafou e fez várias revelações bombásticas. Dentre elas, disse que a Fifa estava sendo mão-de-vaca com as ONGs, prometendo umas esmolas menores que as dos outros patrocinadores pra depois de 2020, além de denunciar que seu cachê, vindo do troco do preço dos estádios, não lhe serviu nem pra comprar uma marmita. Fuleco também não gostou do preço estabelecido por suas réplicas (e não ganhou nada com elas), afirmando que é mais barato contrabandear seus conterrâneos por um valor quase pela metade do de loja, e eles provaram ser mais resistentes que os de plástico nos protestos.

Holanda x Austrália[editar]

Robben, depois do gol do Cahill

Quem pensava que a Holanda ia vencer tranquilamente a Austrália, depois da "estuprada" que ela deu na Espanha, sabe de nada, inocente! Desta vez, veio zebra da Holanda. Começou com gol, pouquíssimo depois (não deu nem tempo de comemorar o gol!), a Austrália empatou, depois virou, e para aumentar a treta, a Holanda empatou de novo e depois virou de novo pra vencer. Bom pra Espanha, que ganhou a terceira posição da Austrália na classificação do Grupo B. Mas, de qualquer jeito, vai ter que ganhar do Chile, se não ela se fode e é eliminada da fase de grupos. Bom, agora vamos deixar essas porras pra lá e vamos falar do jogo. Apesar da Holanda ter uma equipe melhor que a da Austrália, o jogo começou morno, como sempre. Mas ainda no 1º tempo, Robben começou a sessão de tortura à Austrália, fazendo o 1º gol para a Holanda. Mas nem deu tempo para os torcedores da Laranja Mecânica comemorarem. Porque 1 minuto depois do gol sofrido, Cahill bancou uma de Pelé e empatou, entretando as coisas para a Holanda. E o que era festa, virou tensão, porque a Holanda ficou morrendo de medo de ser estuprada pelos cangurus.

No segundo tempo, os cangurus voltaram bem, mas por causa de um empurrão em um jogador da Holanda, o gol que Cahill ia fazer foi anulado, e pior, tomou cartão amarelo e vai estar suspenso do próximo jogo contra a Espanha. Aos 7 minutos, quando um jogador australiano ia chutar, e o holandês travou a bola com a mão, foi marcado pênalti (roubado), o que fez Jedinák fazer o gol macumbado da virada e amarelar as coisas para a Holanda. 3 minutos depois, Van Persie, o estuprador holandês, que até aquele momento não estava fazendo nada, finalmente acordou e empatou outra vez. 10 minutos depois, a Austrália teve chance de virar de novo, mas Jedinák mostrou o lado fraco da Austrália, bateu de peito e presenteou a bola para Cillessen. E essa bola de presente foi aceita com todo o prazer por Depay, revirando o placar para a Holanda, que além de estuprar a Espanha (a primeira a se fuder na fase de grupos), acabou com a Austrália. Mesmo com zebra e tudo, a peleja terminou de 3 a 2.

Chile x Espanha[editar]

Nem a Zebra quis dar o ar da graça, então, chora Espanha!

E na primeira grande decisão desse mundial, tivemos a confirmação da vergonha espanhola, que foi eliminada da Copa ainda no meio da segunda rodada. Não bastando a sacolada que os espanhóis tomaram dos holandeses, agora tomaram mais um baile dos chilenos, que nem são grande coisa, mas aproveitaram a má fase do rival para acabar de mandá-los de volta pra casa. A fase espanhola estava tão ruim, que os chilenos entraram para a história ao ganhar pela primeira vez de um adversário decente mais badalado, mesmo que esse adversário não tenha feito nada grande coisa até agora. Ao jogo! Tudo começou bem agitado, a Espanha precisava vencer de qualquer forma e o Chile pretendia a princípio segurar o empate. Mas, não foi o que pareceu. Os espanhóis entraram em campo totalmente desorganizados e pareciam mais umas baratas tontas em campo. Os chilenos estavam mesmo meio dispostos ao empate, mas já que os adversários estavam pedindo pra levar, eles entraram (ui!) e abriram o placar.

Premonição do logotipo oficial.

Tomar um gol não foi suficiente para ajudar as cucarachas da Espanha a tomar vergonha na cara: continuaram como se fossem os grandes deuses do Olimpo que poderiam empatar e virar o jogo a qualquer hora. A única coisa que virou foi mais um gol no rabo marcado pelo Chile, que contou ainda com uma pequena colaboração de Casillas. No segundo tempo, não tivemos grande coisa. Os espanhóis continuaram com preguiça de jogar, já conformados com a derrota, a desclassificação, o fracasso e todo o resto, e os chilenos estavam querendo segurar o resultado e fazer com que o jogo ficasse uma porcaria (aquele jogo tão animado quanto jogo de botão). E os espanhóis ainda tentaram um pouquinho, mas bem pouco, quase nada. E o jogo terminou com a desclassificação precoce da atual campeã. Os chilenos ainda conseguiram se vingar, pois desde o início da Copa, o Chile recebia macumba pra ser eliminado: mas no fim, acabou de matar a Espanha, que agora volta com o rabinho entre as pernas.

Croácia x Camarões[editar]

Seria outro gol contra do Marcelo? Pela sua fisionomia, acredita-se que ele tenha vindo de Camarões
Lavada em Camarões!

Fechando a segunda rodada do grupo A (o do Brasil), tivemos a partida entre os pré-candidatos à eliminação e perdedores da rodada passada. Camarões, que perdeu e foi previamente devorado pelo México, enfrentou uma Croácia meio injustiçada mas, como o futebol não foi feito pra ser justo, perdeu de novo. O que se esperava para esta partida é que os times tentassem desesperadamente vencer para conseguir uma chance de classificação. A Croácia levou isso bem a sério, e não só ganhou, como literalmente comeu e degustou com muito gosto os adversários em uma sapecada de 4 gols. Tomar de 4 não foi um privilégio de Camarões, mas a tomada deles resultou em outra desclassificação precoce nessa Copa nossa. O jogo foi típico de um jogo de um time só! Só a Croácia jogou, os camaroneses ficaram apenas batendo punheta cabeça em campo, e bateram tanto, que logo no início do jogo, o jogador mais experiente em bater defender Camarões foi expulso! Daí em diante, foi mais simples ainda! Foi um gol atrás do outro.

Na verdade, foram dois para virar o primeiro tempo, e mais dois para acabar de vez com o jogo. Um verdadeiro baile do início ao fim! 1, 2, 3 de Oliveira 4! A partida terminou com um momento de diversão tensão do lado de Camarões. O lateral Assou-Ekotto e o atacante Moukandjo discutiram e trocaram agressões nos últimos minutos da partida (eles podiam ter guardado as agressões para quando voltassem para Camarões, poderiam inclusive fazer participação especial no MMA). No fim das contas, já temos três seleções já eliminadas. A seleção da Austrália, que apesar de ter perdido os dois jogos, sai de cabeça em pé, para cima (até porque nunca vi canguru de cabeça pra baixo), a Espanha sai com o rabo entre as pernas e Camarões que simplesmente sai, não precisava nem ter entrado. Teremos na próxima rodada (para cumprir tabela, aqueles jogos super emocionantes) Espanha contra Austrália. Só falta a Espanha perder e ser goleada de novo. E teremos Brasil e Camarões, esperamos que ainda tenha sobrado camarões para os canários, porque do contrário os moluscos vão comer passarinho!

FARC x Costa do Marfim[editar]

Nem as habilidades de levitação do goleiro marfinense serviram para segurar a Colômbia (afinal ele preferiu proteger o saco do que tentar agarrar a bola).

E hoje na Copa teve mais um jogo morno, digno de Brasileirão ou de Copa do Brasil. Colômbia e Costa do Marfim jogaram em outra daquelas partidas meio bosta da Copa, mas os colombianos levaram a melhor, depois de matarem a Grécia. O primeiro tempo estava muito morno, quase uma repetição de Brasil × México, mas a treta, ainda que contida, veio no segundo tempo. Aos 18 minutos, James Rodriguez acertou um gol de cabeça e abriu o placar. Logo depois, Quintero aumentou para a Colômbia. Aparentemente, a essa altura, a Costa do Marfim já viu que ia perder: e perdeu mesmo, porque só deu tempo pra fazer mais um gol, feito pelo único craque da equipe, Gervinho. E agora, os dois times começam a sonhar ainda mais com a classificação para as oitavas, já que eles acham que Japão e Grécia, que são mais fracos que eles, vão terminar no 0 a 0. Realmente, o único time forte do Grupo C, que é o "Grupo dos Fracos", é a Colômbia, mas aguardemos as oitavas...

Costa Rica x Uruguai[editar]

Fantasma de 50.jpg

O jogo começa com um cara e coroa, até ai eu não achei nada diferente... ah sim, claro: a grama tava bem verde, mas um verde não tão verde, acho que um verde meio escuro. E a seleção inglesa vem com seu uniforme autêntico de uma cruz nas costas, já o Uruguai uma camisa azul, diferente do que todos pensavam, que ele viria com uma camisa listrada preta e branca. Mas pôs por baixo, de toda forma, selando assim a perda do dinheiro de muitas pessoas em bolões, e isso inclui a mim, que apostei 4 a 0 pra Inglaterra (vou cobrar da rainha depois). Não vou ser injusto, vai ser fácil falar que o jogo foi uma porcaria mas foi mesmo. Mesmo tendo seus altos, foi um daqueles jogos que deve ser escutado pelo rádio, que daí você não entende nada. Quer dizer, só entende que perdeu o gol, aliás até que teve bastante chance, mas os erros dos chutes foram 1950 vezes maior que a quantidade de gols. E depois de muito tentar, finalmente o Uruguai consegue (depois de notar que a Inglaterra estava com um sono daqueles) iniciar toda uma jogada ensaiada que a defesa inglesa ficou parada assistindo, batendo palma e comendo uma pipoquinha.

Fantasma delicado.jpg

E essa chance o Uruguai não perdeu, deixando assim Suárez, que tinha acabado de ir ao proctologista, cara a cara com o goleiro e enfiando esse gol. O gol foi no finalzinho do primeiro tempo, que acaba sem graça (do jeito que começou). Inicia-se o segundo tempo e a Seleção Inglesa, querendo ao máximo virar a partida, faz uma tática bastante ofensiva: um 0-0-0-11. Já o Uruguai, fica bastante defensivo, com destaque a Álvaro Pereira que quebra as próprias pernas, leva uma joelhada na cabeça, fica inconsciente por 5 minutos e continua jogando. Enquanto isso, nossos jogadores com uma farpa no mindinho não jogam que "é pra se poupar". Agora voltando ao jogo, a tática ofensiva da Inglaterra funciona, e finalmente quem diria? Por incrível que pareça, Rooney faz um gol em copa do mundo. E é a partir daí que a rainha acorda, se levanta, toma seu chá, come um biscoitinho e vai com tudo... Até que Suárez faz um gol para o Uruguai, Uruguai que eliminou o Brasil na copa de 50, Brasil é o time que joga o menino Neymar, como joga o menino Neymar. Termina assim a partida: 2 a 1 para o Uruguai, rumo à final (só que não).

Japão x Grécia[editar]

No Japão até os garis ganham salário o bastante para conseguirem viajar até o Brasil para limpar os estádios (assistir essa porcaria de joquinho que não acredito que vieram assistir).

No duelo dos fracos do grupo dos fracos (o Grupo C) desta Copa do Mundo de 2014, o jogo obviamente só poderia ser fraco. A Grécia veio com sua tradicional retranca e falta de criatividade ofensiva desejando um previsível 0 x 0, enquanto o Japão trouxe sua famosa tática de barata tonta de correr de um lado para outro sem qualquer objetividade. Não sei se alguém avisou esses dois, mas ambos estavam em uma partida decisiva de Copa do Mundo, e não num peladão de feriado. Poucas jogadas de pre-ri-go ocorreram no primeiro tempo de morno pra frio: do lado grego apenas contra-ataques mais ou menos velozes com conclusões precipitadas, muitos pisões em bola e tropeções aos calcanhares, fazendo-nos acreditar que a culpa era do gramado da Arena das Dunas. E pelo lado japonês, perigo apenas em bolas aéreas e faltas. Katsouranis foi o destaque individual do primeiro tempo. Após esquecer que não estava jogando no PAOK (onde ele pode sair quebrando canelas porque na Grécia tudo é liberado), bastou dar dois carrinhos quebrando dois japoneses que corriam demais para ele receber dois amarelos, ser expulso e teoricamente facilitar as coisas para os japorongas.

Mas por terem olhos puxadinhos, os japas não notaram que estavam com um a mais em campo pra fazer algo diferente do que só ficar dando passe pro lado, e cruzamentos como tentativa ofensiva. Os coitados dos baixinhos japoneses não tinham a mínima chance contra os zagueiros grandalhões gregos. A bicuda do meio de campo do atacante grego aos 2 segundos de segundo tempo demonstra bem a ausência de capacidade grega. Os japoneses coitados, Zico nem deveria se orgulhar de lhes ter ensinado futebol se o resultado foi uma equipe dessas que não sabe se impor nem com um jogador a mais. Para não sermos injustos, podemos ressaltar os gols perdidíssimos, primeiro de Kagawa que teve a capacidade de perder a conclusão a 2 metros de distância do gol e mandar uma bomba que foi parar em Fernando de Noronha, onde encontraram a bola perdida do Roberto Baggio de 1994. E pouco tempo depois, a única tentativa grega de mostrar habilidade foi quando o zagueiro Socratis Papastathopoulos tentou sair driblando na própria pequena área mas foi antecipado por Uchida (um irmão renegado do Sasuke Uchiha), que obviamente chutou pra fora. No final tenso desse jogo corrido, não faltou cruzamento japonês numa verdadeira aula de ineficiência em bola aérea. Vislumbrando que 1 ponto é melhor que terminar o torneio com esperados nenhum ponto, o empate sem gols foi o resultado final mais justo até agora, e a Colômbia agradece.

Itália x Costa Rica[editar]

Cquote1.png ÊÊÊÊ, FIM DO PRIMEIRO TEMPO, MUSSOLINI VAI PRA GALERA Cquote2.png
Galvão Bueno
Torcedor costa riquenho comemorando a vitória da zebra da Copa do jeito mais conveniente possível

Na Arena Pernambuco, foi realizado um dos jogos menos esperados da primeira fase: a tradicional Casa Nostra, que contava com Andréia Pinto no meio de campo e Buffet, goleiro que entrou para a história das Copas ao disputar a 5ª competição da categoria consecutiva tomando frangos e passando vergonha, e a Costa Rica, que chegava a sua 4ª participação, que seria mais uma mera figuração. Seria...
Cquote1.png Nós estávamos por trás de tudo, afinal, é a Itália. Como poderíamos estar ausentes? Cquote2.png
Mafioso italiano
No primeiro tempo, foi um jogo mais entediante do que o Pink Floyd, com poucas chances para as ambas seleções, onde de emocionante teve apenas um pênalti não marcado (pois ao contrário de nós, a Costa Rica não conseguiu subornar o juiz com um pastel de flango, porque o mesmo não era asiático, o que justificou a arbitragem favorável à Itália) e um gol no final do primeiro tempo, marcado por Juiz Ruiz.
Cquote1.png Que bosta... Cquote2.png
Qualquer um sobre o primeiro tempo
No começo do segundo tempo, os italianos orquestraram violentas investidas contra os ostentadores, barrados pela camisinha Navas (patrocinadas pelas camisinhas Ochoa). Porém, isso não adiantou muito, uma vez que eles entraram em mais de oito mil impedimentos durante a maior parte do segundo tempo, mais até que o Fred. Mesmo assim, a Costa Rica teve mais posse de bola, com direito a olé. No fim, deu 0 a 1 pra Costa Rica, que foi a 4ª seleção a se classificar antecipadamente ao mata-mata, mandando os turistas ingleses de volta pra casa, e forçando italianos e uruguaios a dançar frevo entre si para conseguir a outra vaga.

França x Suiça[editar]

Queijo suíço depois do jogo. Note os 5 buracos.

O jogo já começou com um suíço caindo sozinho e machucando o olho, pra esquentar os ânimos. O primeiro gol saiu da França por Giround, e logo depois um outro do Matuidi, deixando os suíços de 4 2. Depois de um tempo, saiu um pênalti emprestado para os franceses, o 3 × 0 estava evidente para todos, mas o Benze o mar conseguiu não acertar e deu pros suíços uma esperança. Depois disso, uns ataques mal-feitos da França pareciam significar um enfraquecimento: até a Suíça quase fez um gol, mas aí saiu o gol do Valbuena, que já expulsou os suíços do estádio. O segundo tempo foi chato e eu quase dormi sem fazer essa desnotícia, até quando o Benzema finalmente fez um gol, sucedido do negão Mossa Sem-soco.

Depois disso, a Suíça abriu o olho e, pra não fazer (tão) feio, fez dois gols: um do Dzemaili e outro do Granito Xeca, o que deixou os franceses putos por não ficarem com um placar bonitinho e terem perdido no saldo de gols. Mas Benzema decidiu apelar pro lado sobrenatural e fez um golaço histórico no final do jogo... pena que foi no final mesmo! O juiz já tinha apitado há uns dois minutos, mas o carequinha franco não ousou em desistir e marcou (mesmo assim o gol foi anulado). Agora, depois dessa lapada de 5 a 2, a Suíça vai ter que usar vaselina pra jogar com Honduras (se perderem essa...) e a França pode jogar de graça com o Equador, que não será grande desafio e levará a França para as eliminatórias em primeirona do grupo.

Honduras x Equador[editar]

Pode chamar do que for, mas esta imagem prova de que não foi futebol o que vimos neste jogo.

Equador e Honduras se enfrentaram para decidir quem poderia ser o pior time do Grupo E, e portanto forte candidato a pior da Copa: quem levou a melhor foi Honduras, com uma sacrificante derrota por 2 x 1. Em primeiro lugar, estamos analisando aqui dois times terríveis que pelo visto confundiram as regras do futebol com as do futevôlei, porque já eram 20 minutos do primeiro tempo e a única coisa que havia acontecido foi um festival de chutes pro alto e adversários respondendo com cabeceios ou novos chutões, evitando ao máximo que a bola caísse ao chão. Por mera questão de probabilidade numa dessas bicudas despretensiosas pro ataque do Equador, uma delas sobrou para o atacante Enner Valencia (sozinho com o goleiro hondurenho), que obviamente desperdiçou com uma canelada pra linha de fundo, senão não seria da seleção do Equador esta desgraça de jogador. E se Valencia desperdiçou para o Equador, em lance idêntico com talvez o quadragésimo chutão pro alto do jogo, Honduras ensinou como fazer quando o atacante Costly dominou livre e acertou o gol.

Mas como o Equador se considera tão ruim quanto Honduras, eles teriam que empatar, e nada melhor do que empatar durante um lance extremamente cagado 3 minutos depois: com um cruzamento horrível e rasteiro, os defensores hondurenhos ficaram olhando a bola cruzar devagar a área toda... até a finalização de Enner Valencia. E por fim, em mais uma demonstração de que não sabiam o que estavam jogando, no último lance do primeiro tempo Honduras até conseguiu marcar seu segundo gol, mas o juiz foi obrigado a anular pois foi feito com mão, como se estivessem jogando handebol. Para o segundo tempo, as equipes decidiram parar de jogar futevôlei, mas não significa que algo melhorou porque não foi futebol o que começaram a jogar, mas sim atletismo com 20 jogadores correndo desesperadamente. Continuando nessa sina de não saberem o que jogavam, Equador e Honduras combinaram de adotar a tática do basquete de ter 30 segundos para definir o ataque, afinal, nenhum dos dois conseguia ter posse de bola por mais tempo que isso. A virada equatoriana veio da única maneira possível, com jogada de bola parada e gol de cabeça de Enner Valencia. Garantido a vitória, os equatorianos admitiram estar exaustos e começaram a caminhar em campo. E os hondurenhos, ao contrário dos suíços, não conseguiram vencer de um cansado Equador, que no último lance criou outra jogada com o uso da mão.

Argentina x Irã[editar]

E o Camelo Shaheen acerta mais uma!

A Argentina enfrentou o Irã pela segunda rodada do Grupo F deste mundial. Os argentinos trouxeram para o jogo sua velha tática da catimba e cozimento do jogo com muito toque de bola, já os iranianos se sentiriam campeões do mundo se houvesse um empate sem gols: logo, vieram com sua formação 100-0-0, porque até o presidente da federação iraniana estava na defesa nesse jogo. O Irã, com seus 5% de posse de bola, não passava do terceiro passe antes de serem desarmados: enquanto a Argentina, com seus 295% de posse de bola, demorou para encontrar penetração nessa defesa persa. Em 45 minutos, toda badalação de Messi, Higuaín e Didi María serviram pra nada, porque a única coisa que criaram no primeiro tempo foi uns 4 cruzamentos para a área com cabeçadas bisonhas, que queira ou não o Irã teve as mesmas oportunidades (as quais desperdiçou igualmente). O ritmo lento ficou claro quando tivemos mais tempo de bola parada e jogadores se arrastando do que bola rolando, e talvez um ou outro correndo só de vez em quando.

No segundo tempo, não mudou tanta coisa, apenas que a Argentina demorava mais que o normal pra desperdiçar o posse de bola superior com um cruzamento horrível para a área iraniana. Já o Irã, mesmo que na base da cagada, deu só um cruzamento e acabou sendo o mais perigoso do jogo se o atacante Reza Ghoochannejhad tivesse cabeceado certo. Após 70 minutos de péssimos cruzamentos argentinos, os iranianos relembraram que eles é quem são os times retranqueiros que deveriam estar chutando bolas alçadas na área, ensinando os argentinos como fazer com mais uma bola aérea perigosa e dessa vez quase gol do Dejagah. Quando o 0 a 0 estava encaminhado, Messi enfiou a bicuda de qualquer jeito e só após os 90 minutos descobriu como poderia ser fácil marcar um gol nos iranianos. Resultado: gol e classificação argentina, após um jogo i

Alemanha x Gana[editar]

Reação de Adolfinho ao ver a vitória da Alemanha

O titulo já diz tudo: as casas de apostas fecharam depois desse jogo que nem Mãe Dinah adivinhava o placar (ainda por cima porque ela morreu), mas isso até que é normal. Estranho seria se a Seleção Alemã ganhasse, afinal, Gana havia caçado zebras e usou isso a seu favor com acessórios de zebra, ainda mais que em Gana a Coca-Cola é idolatrada, dando assim uma "energia" a mais para os jogadores ganeses (que aguentaram firme por quase 100 minutos). Já a Seleção Alemã, depois da vitória esmagadora contra Portugal, não sabia que a culpa era da seleção portuguesa, que joga mal. Começa o jogo e o campo em si parece uma zebra com faixas mais escuras e faixas mais claras, mas o primeiro tempo foi tão sem graça que eu até cheguei a dormir.

Eu acordei no segundo tempo (soninho bom) a tempo de ver o gol da Alemanha, e em seguida o gol foguete da equipe de Gana, lembrando a caçada que ocorre naquele belo país. Assim, Gana empata a partida, e foi pra arrombar a Alemanha de vez que a nossa querida Gana vira um jogo com uma bica pra frente e um chute bem colocado. Os ganeses e alemães mortos em campo ainda conseguiram fazer um triste segundo tempo, e com a entrada de Klose no final da partida, ele rouba um gol do seu companheiro de equipe, no primeiro toque que dá com a unha encravada. Com esse gol, Klose empatou com o Ronaldo fofômeno em seu recorde (os dois com 15 gols) e está closer de passá-lo, mas foda-se. E no final do jogo, Klose teve mais uma chance, mas 1 milhão de brasileiros e o Ronaldo gorducho secaram ele. E a partida encerra com um 2 × 2.

Bósnia x Nigéria[editar]

Para se consolarem, os bósnios decidiram comer este pão em formato de bosta

Quem achou que a bostia Bósnia ia ganhar e se manter na copa depois da zebrada que deu na Argentina, e com o jogo padrão série C envolendo a Nigéria, se fudeu. A Bósnia tentou mais de 8 mil vezes fazer um gol, mas o goleiro da Nigéria pegou todas, imitando o Ochoa, goleiro do México, que promoveu um jogo morno e zebrado entre Brasil e México na última terça. Aos 20 minutos do primeiro tempo, já havia sinais de que a Nigéria também comprou a Copa. O jogador Dzeko, da Bósnia, fez gol, mas ele foi roubadamente impedido. 3 minutos depois, Dzeko tentou de novo, mas o goleiro nigeriano Eneyama imitou o Ochoa e se transformou num muro, bloqueando todas as tentativas de gol da Bósnia.
Cquote1.png HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! Cquote2.png
Bart Simpson sobre FAIL da Bóstia
E quando todo mundo achava que a Bósnia ia fuder e envergonhar a Nigéria e ser a primeira estreante a brigar pelas oitavas, já que o Irã tava praticamente fodido, a Nigéria mostrou que comprou a Copa e Odemwingie fez o gol. E logo depois do gol, a Bósnia ficou emputecida e fez mimimi para o árbitro, falando que teve falta antes do gol e que a Nigéria comprou a Copa. Mas o árbitro, hipnotizado pelos nigerianos, disse que não foi falta. E a chance do empate veio no 2º tempo, aos 28 minutos, quando o técnico bósnio Susic colocou em campo o autor da zebrada na Argentina, Ibisevic. Logo, ele quase fazia os nigerianos desmaiarem, com um cabeceio por cima do gol. E a Bósnia tentou se arrastar no final do jogo para empatar, mas não conseguiu, e é a segunda a se fuder num dos grupos mais fracos da Copa.

Bélgica x URSS Rússia[editar]

O hino, a parte mais emocionante do jogo inteiro.

E o campo acaba por se encharcar... de água? Não, de suor, e isso fez com que os jogadores escorregassem muito, mas não foi só isso que contribuiu a derrota russa. A arbitragem também, que está sempre se superando, e acabou não marcando um pênalti claríssimo. A Bélgica, que não tinha nada a ver com isso, tava patinando no gramado (porque se for pra correr, derrete). Mais um dos motivos do jogo ter sido uma porcaria.
Cquote1.png Bando de filho da puta, eu vou mandar um míssil explodir seus aviões! Cquote2.png
Vladimir Putin sobre Bélgica
O primeiro tempo foi repleto de toques sem objetividade, pisões na bola, quedas toscas e mais toques sem objetividade. Algumas chances perdidas... quer dizer, muitas. Melhor ainda, chances perdidas pra caralho, aliás, todas as que tiveram erraram, e na soma das duas seleções foram 5 finalizações e todas pra fora. Sim, esse foi o primeiro tempo que deu sono, e até quem tinha acabado de acordar foi dormir de novo.
Cquote1.png Até eu! Cquote2.png
Vladimir Putin sobre ir dormir
No segundo tempo, a Rússia já estava com a pele queimada e quase sem ar, tendo em vista que saíram de um local onde faz -57º C para outro onde é seu oposto, 57° C. Então, foi um passeio para os belgas, que estavam só no relax, que até deram uma de Messi: ficaram 89 minutos sem fazer nada, e no último minuto criam uma jogada do caralho e ganha a partida. E terminou de 1 a 0 para os belgas, que estão classificados para as oitavas, anota aí a final: vai ser Bélgica vs. Argentina...

Argélia x Coreia do Sul[editar]

Típica torcedora da Coreia do Sul

Para mais uma pelada nesta bendita Copa do Mundo, Coreia Austral e Argélia se enfrentaram num jogo entre desesperados com duas escolas futebolísticas bem indistintas: os sul-coreanos com sua típica correria alucinada descontrolada sem objetividade ou organização, contra o futebol árabe argelino caracterizado por sua incrível capacidade de errar o gol por mais clara que esteja uma jogada, precisando o adversário ser muito ruim para tomar gols deles (foi o caso). Nos primeiros momentos de jogo, ficou claríssimo o quanto a Argélia é uma seleção que sabe bem colecionar erros de conclusão, mas diferente de seleções mais credenciadas, a Coreia do Sul ficou curiosa sobre quando os argelinos poderiam acertar, e isso veio aos 26 do primeiro tempo graças à Slimani. Os baixinhos coreanos já estavam exibindo todos os sinais de que não sabiam cabecear, e portanto não foram páreo para Rafik Halliche, que subiu sozinho para marcar de cabeça 2 minutos depois do primeiro gol, num escanteio, como se estivesse num treino e não num jogo decisivo de Copa do Mundo, onde deveria haver alguma suposta marcação cerrada. Aos 38 do primeiro tempo, ainda houve a jogada do terceiro gol argelino graças a um chutão pra frente e um erro primário dos zagueiros coreanos, que imaginavam estar num jogo de PES para deixar Abdelmoumene Djabou tão livre para marcar.

Ninguém entendeu essa comemoração de cunho homossexual, todos achavam que os muçulmanos abominassem esse tipo de atitude, talvez um protesto contra liberdade sexual.

Os coreanos, mais perdidos que cego em tiroteio, não esboçavam qualquer reação e simplesmente desistiram da Copa do Mundo, sequer passando do meio-de-campo ou tocando na bola, demonstrando como não é só estereótipo preconceituoso quando dizemos que coreanos só sabem jogar videogame, ouvir PSY e cantar em karaokê. No início do segundo tempo, os sul-coreanos foram relembrados que estavam num jogo de futebol, e retornaram bem mais dispostos: aos 4 minutos de jogo deram o seu primeiro chute ao gol, e descobriram como poderia ser fácil fazer gol na Argélia ao marcar na primeira tentativa, graças a Son, após um domínio de coluna vertebral com uma girada para um chute fraco sem direção, mas que o goleiro argelino aceitou por entre as pernas. Ao perceber o quão péssimo eram os argelinos, os sul-coreanos se animaram no jogo e finalmente começaram a fazer alguma coisa, dominar o jogo, atacar mais, finalmente acertar passes e gerar algum perigo, quando então... achou que os coreanos aumentaram? Não! A Argélia, numa tabelinha previsível, conseguiu enganar a defesa coreana, e o gol foi de Yacine Brahimi. Por considerar a Argélia um time tão ruim quanto eles, os sul-coreanos não admitiriam uma diferença tão grande de gols. Aproveitando a vacilada da defesa argelina, os coreanos tocaram bola na pequena área como se estivessem jogando bobinho, até a conclusão de Koo Jacheol. Para os 15 minutos finais, Argélia e Coreia do Sul, desacostumados a fazerem tantos gols, decidiram combinar então de entrar numa disputa de quem perdia os gols mais feitos, e a Coreia do Sul levou a melhor com um festival de erros, e foi assim até o término do jogo. Final de jogo, e vitória da Argélia por 4 a 2.

México x Croácia[editar]

Quico treinando para o jogo

Depois do jogo morno que o México teve com o Brasil e da Croácia comendo os camarões do México, chegou a hora de ver quem vai para as oitavas e quem se fode e volta pra casa. O 1º tempo foi muito morno, muitos jogadores ficaram emputecidos com o árbitro, teve empurra-empurra, e até dedo do meio. Aos 15 minutos, Hector Herrera ia fazer o gol para o México, mas justamente quando todos os mexicanos prontos para comemorar tomando tequila (e pensando que ia ser gol), a bola explodiu na trave e deu uma bela de uma fudida para os mexicanos, encerrando o primeiro tempo no 0 a 0.
Cquote1.png Tá bom, mas não se irrite! Cquote2.png
Chaves sobre o 0 a 0
Os gols só vieram no 2º tempo, quando Chicharito entrou no lugar de Giovanni dos Santos, o que fez o México acabar com esse clima morno. O primeiro gol foi feito com o velhote Rafa Márquez. 3 minutos depois, Croácia tentou um gol, o México tentou e conseguiu. Peralta chutou para Guardado e mandou pro fundo do gol. A essa altura, o goleiro croata Pletikosa já se sentia um frango. Aos 36 minutos, o México confirmou o ritual de fudimento da Croácia: Rafa Márquez cruzou de direita e Chicharito se teletransportou para o ataque, fazendo mais um para o México. Mas a Croácia se atrasou e só fez gol no final, com Perisic cruzando de direita e marcando para a Croácia, que foi a bipolar do Grupo A: uma hora tá boa, outra hora tá ruim. E acabou assim, perdendo de 3 a 1, uma Croácia fudida e eliminada.

Holanda x Chile[editar]

No estádio do Itaquerazzo, no extremo da Zona Lost paulistana, os holandeses e os chilenos, jogaram entre si para definir quem seria o primeiro do grupo e pegaria o jogo mais fácil nas oitavas. Como ambas as equipes já estavam classificadas, não deram um foda para a partida durante a maior parte dela, tanto que eu dormi durante ela e só acordei depois para ver os piores momentos depois, e, acredite, não perdi nada. No primeiro tempo, os jogadores ficaram brincando de bobinho entre si, e esqueceram que estavam numa Copa do Mundo, logo, não teve nada de interessante, exceto por um pênalti corretamente não marcado para o Chile, que não manja dos recursos. No segundo tempo foi a mesma coisa, exceto pelos 15 minutos finais, onde o técnico holandês Louis Van Gaal lembrou sua equipe de que o bagulho era sério, e ainda não estavam na final pra amarelar. Leroy merlin Fer marcou o primeiro num cruzamento com toque de cabeça, se aproveitando da zaga chilena ser composta de anões. 15 minutos depois, num contra-ataque, Roberto toca para Memphis Depay matar o jogo e deixar a Holanda em primeiro, e a seleção canarinho um pouco fora do caminho. Sim, porque mesmo perdendo de 2 a 0, o Chile escapou da eliminação e se mandou pras oitavas.

Itália x Uruguai[editar]

Fantasma de 50 faz mais uma vítima

Na Arena das Dunas, hoje à tarde, Itália e Uruguai decidiram entre si quem se classificaria da maneira mais bostial possível. Esta tabela da FIFA comprova que a mesma é tendenciosa, pois exibe primeiro os jogos bosta, para depois mostrar os jogos antológicos, o que é compreensível, já que ninguém merece ver kung fu, jiu-jitsu, taekwondo ou muay thay disfarçado de futebol. No primeiro tempo, como era de se esperar, houve poucas chances de gol, e muita enrolação por parte dos italianos, que só precisavam de um empate para seguir em frente, além é claro de muita pancadaria, por trás dos olhos do árbitro (ui!). Com um claro destaque para Batolete, que aos 22 minutos praticamente montou num jogador uruguaio, antes de sair por conta de uma porrada na cabeça.
Cquote1.png êêêêê, ganhamos, agora vamos fumar uma para comemorar! Cquote2.png
José Mujica sobre vitória do Uruguai
O segundo tempo foi mais animado, pois numa dessas lutas, Mauricinho foi pego no flagra pisando no adversário; ele ainda tentou argumentar que isto não era falta, o que não convenceu o árbitro, que o expulsou. Outro destaque foi Suarez, herói nacional discípulo de Maradona, morder Celine Dion, assim como mestre Mike ensinou. O jogo parecia caminhar para um tedioso 0 x 0, até que numa cobrança de escanteio, Godinez marcou de cabeça, sendo que parecia partida de Copa do Mundo, pois a zaga italiana pensou que se tratava de um treinamento. Ao se tocar da burrada que fizeram, correndo desesperadamente tentando fazer em 10 minutos o que não fizeram em 80, até o frangueiro Bufê foi pra área, o árbitro, deu ∞ minutos pra Itália empatar, mas nada impediu que o fantasma de 50 passasse de fase, para o terror canarinho. E a partida termina de 1 × 0 mesmo, por sorte dos uruguaios.

Costa Rica x Inglaterra[editar]

Torcedora da Costa Rica tentando desviar as atenções para fazer a bola entrar

Esse foi o jogo mais morno do Grupo D da Copa, tão morno que tinha até gente lendo jornal durante o jogo. A zebra dessa copa, a Costa "Zika" que fudia campeões do Grupo da Morte, acabou não fudendo a eliminada e fudida Inglaterra, que foi a pior do Grupo e perdeu todos os jogos, dando um tchauzinho pra Copa antes da hora. A Costa Rica começou bem, com Campbell quase abrindo o placar pra tentar fuder mais um campeão. Mas logo depois, a Inglaterra ameaçou derrotar pela primeira vez nessa Copa a Costa Rica, com Sturridge tentando, tentando, mas não conseguindo nenhum gol. No segundo tempo, a Inglaterra pressionou a Costa Rica, apelando tanto pro fantasma da derrota que Navas quase não conseguia defender, mas a partida permaneceu no 0 a 0. Alguns minutos depois, a Costa Rica colocou Rooney em campo, mas a Costa Rica, em vez de gols, só quis fazer contra ataques. Ou seja, termina assim mais um jogo bosta da Copa.

Japão x Colômbia[editar]

Pra comemorar, as grandes autoridades colombianas, resolveram ir ao Japão roubar uns pastel de flango

Colômbia e Japão definiram suas vidas nesta copa do mundo num jogo cheio de humilhação em cima dos otakus (único momento em que acompanham futebol, quando assistem ao Japão na Copa do Mundo). Os sul-americanos, já classificados, entraram para o jogo em ritmo de treino, enquanto os asiáticos eram tão fracos que o ritmo de treino dos colombianos é equivalente a um péssimo time grego com um a menos, ou seja, algo que japoneses não conseguem superar nem que uma vaca japonesa daquelas mais caras do mundo tussa. E se os japoneses para se classificarem além de ganhar o jogo tinham que colocar em uso suas calculadoras fabricadas em Nagoya (esperançosos por uma mirabolante combinação de resultados), tudo ficou ainda mais complicado quando eles esqueceram que a partida não era de karate: o defensor dos japoneses meteu a rasteira num colombiano dentro da área, criando o pênalti. Aos 17 minutos, Quadrado fez o primeiro da Colômbia neste pênalti, resultado desfavorável que forçou os japoneses a começarem a calcular exponenciações quadráticas (culpa do Quadrado), derivadas e radiciação do cosseno hiperbólico (japoneses são nerds, não se esqueçam) para ainda terem esperanças de classificação. Quanto aos colombianos, que como qualquer sul-americano não é nada estudioso e só sabe jogar futebol mesmo, restou a comemoração ao estilo "Armeretion", aquela dancinha em que os jogadores simulam um ataque epiléptico.

Para os colombianos, o resultado pelo visto já estava definido, porque eles simplesmente pararam de jogar de tão desacreditados que o Japão poderia fazer alguma coisa. E no último lance do primeiro tempo, talvez na quinquagésima bola aérea japonesa nessa Copa do Mundo, eles finalmente acertaram uma, no cruzamento de Keisuke Honda e conclusão de Shinji Okazaki. Para quem esperava um segundo tempo de correria japonesa com aquela superação incrível que vemos nos animes, viram logo um gol colombiano logo aos 10 minutos, graças a uma simples troca de passes até a conclusão de Jackson Martínez, porque a vida real não é um anime como os otakus imaginam ser. A partir de então, a Colômbia humilhou colocando meio time de reservas e terminando o jogo sem nem correr e mesmo assim criar as melhores chances, porque já sabiam que os japinhas vão embora humilhados dessa copa com fracasso nesse grupo nada difícil. Com direito até a terceiro gol colombiano, mais um de Martínez graças à morosidade japonesa. A humilhação foi tão grande que os colombianos colocaram até um idoso em campo. O goleiro Mãodragão, que foi ovacionado pela torcida colombiana, compareceu em peso no Pantanal, uma verdadeira zueira para demonstrar como os japoneses não atacavam nada. A coisa estava tão feia para o Japão que os colombianos até pararam de jogar futebol e passaram a dançar bambuco. Pra começar, Armero dançou no meio de campo e tocou para James Rodríguez, que dançou na área e deu um chute fraco pro gol, que o goleiro japonês aceitou. No último lance, os japoneses tiveram a única chance claríssima de gol, e para consagrar a vitória colombiana, Mondragón entrou para a história sendo o homem mais idoso a defender um gol de copa. Final de jogo, e uma lavada de 4 a 1 em cima dos japas.

Costa do Marfim x Grécia[editar]

A tática da Costa do Marfim

Em mais uma partida ruim e monótona dessa Copa, tivemos a Grécia surpreendendo e derrotando os marfinenses: caso não saiba, marfinense é quem nasce na Costa Rica do Marfim (tem muito marfim lá?). Enfim, esse foi sem duvida um dos piores jogos que se podia esperar, já considerando a decadência dos dois jogos anteriores de ambas as equipes. Tudo bem que jogando contra Coreia, Japão e essa galera toda que nem sabe o que é bola não deve ser tão empolgante, mas mesmo assim, esses dois times não estão muito atrás. Ao jogo! Pode parecer um pouco óbvio, mas a favorita era a Costa do Marfim, por causa da crise europeia, principalmente na Grécia, ou qualquer outra desculpa que os europeus sempre têm quando perdem. Mas no caso, as equipes africanas também não vão bem, considerando que a África está sempre em crise, e a coisa nessa Copa tem se mostrado tão crítica que eles mesmos estão se pegando e se matando: eles perdem por si só, nem precisam do outro time.

E foi o que se concretizou nessa partida. Os marfinenses ficaram batendo cabeça, literalmente, e os gregos aproveitaram e créu. Eles abriram o placar, tomaram o empate e no fim do jogo conseguiram decidir o jogo com mais um daqueles pênaltis bizarros que só os árbitros veem, sem dúvida um presente de grego. E a confusão termina deese jeito, de 2 a 1 mesmo. No fim das contas, no grupo mais detestado e menos visto da Copa (você acha que alguém assistiu algum jogo desse grupo?), os classificados foram Colômbia e Grécia, que vão só para representar mesmo e para aumentar a felicidade dos adversários nas oitavas. Ou infelicidade, pois do jeito que a zebra está correndo solta, creio que tem equipe pedindo para pegar adversários grandes e reduzir o vexame.

Irã x Bósnia[editar]

Já reparou que em todo hino tem algum perdido com a mão no peito sabe-se lá porque?

O último jogo do grupo D, o grupo daqueles sortudos dos argentinos, que só sobra a Argentina mesmo, o resto é nulo. Para a grande alegria do torcedor, o jogo foi em Salvador, a capital dos gols nessa Copa. Para a tristeza, Salvador ia ter que salvar muito, pois hoje o jogo seria entre Irã e Bósnia. Iria ser literalmente uma guerra (e eu não me refiro à competirividade ou gols)! Regados pela grande chuva, não se podia esperar muito, devido às limitações das equipes (eles são muito ruins...), mas pelo jeito o santo salvou mesmo, pois tivemos uma chuva de gols. Sei que vai perguntar se a partida teve 500 minutos, pois só assim para essas duas equipes fazerem algum gol, mas não, tivemos mais de oito mil o tempo convencional. Não tiremos o mérito do santo, que fez um bom trabalho. Infelizmente, nem o espetáculo de gols foi suficiente para animar esses dois times, afinal, eles foram eliminados, unidos, todos juntos de mãos dadas. Tivemos uma segunda chuva só de choro dentro do campo. Definitivamente, essa galera não nasceu para jogar! Esses times que não fazem nada durante a Copa inteira, aí chegam na última rodada já sem chance de nada e ainda querem chorar... Chorar pra quê? E mais, o choro esta ligado à expectativa da equipe, sério mesmo que eles tinham alguma expectativa de ganhar a Copa? Se tinham, precisam é de um psiquiatra!

Enfim, o Irã entrou em campo ainda com chances de classificação, mas chances não significam nada, pois mesmo já eliminados da Copa, os jogadores da Bósnia-Herzegovina se lançaram ao ataque como se a classificação às oitavas estivesse em jogo: justamente o que faltou ao Irã, que de fato tinha possibilidades de avançar ao mata-mata pela primeira vez na história (pois é Irã, não foi dessa vez). Com postura de vencedores (mesmo já desclassificados), os europeus mantiveram a alta média de gols da Arena Fonte Nova, vencendo por 3 a 1, selando a eliminação do Irã do Mundial diante de 48.011 presentes (o que não tem nada a ver, já que quem foi lá queria ver gol. Aposto que ninguém ficou triste porque o Irã perdeu). Como consolo, Reza rezou e fez todo mundo dormir descontou para os iranianos e marcou o primeiro - e único - gol de sua seleção na competição. Para avançar às oitavas, o time iraniano precisava vencer e também de uma ajuda da Argentina diante da Nigéria. Os hermanos fizeram a parte deles, como sempre. O problema é que esses times aí desses lugares estranhos não sabem cumprir o trato e esqueceram de pagar a propina pra o adversário. Já a seleção da Bósnia, que entrou eliminada, ia pra casa de qualquer jeito, e se concentrou simplesmente em atrapalhar os outros (conseguiu, deve ficar satisfeita).

Equador x França[editar]

Torcedores do equador indo assistir o jogo

Uma virtualmente classificada França enfrentou um desesperado e desorganizado Equador pela definição do Grupo E. Neste jogo onde uma semi-classificada França enfrentou um medroso Equador, o desenrolar não poderia ser diferente do primeiro tempo sonolento, onde absolutamente nada de bom aconteceu (aliás, divertido mesmo é a zueira que podemos fazer com os otários que deram 350 reais nesse maldito ingresso da FIFA). No primeiro tempo inteiro, ambos goleiros tiveram toda paz do mundo para tomarem um cafezinho enquanto a bola não saía de um meio-campo congestionado. O equatoriano Enner Valencia tava isolado e nada poderia fazer, enquanto o francês Benzema, rodeado de reservas, preferia poupar suas canelas para as oitavas-de-final. O único lance de destaque da primeira etapa foi a dividida de cabeça entre um francês e um equatoriano: esqueci o nome de ambos porque o jogo estava tão chato que dormi no meio, lance em que o equatoriano levou a pior e teve uma buceta aberta na careca. Os médicos equatorianos não pensaram duas vezes, e ensacolaram a cabeça do jogador ferido com uma rede cretina de pescador, cuja gaze fazia parecer que o equatoriano estava com absorvente usado pregado na cabeça.

O segundo tempo começou movimentado, porque os equatorianos descobriram que a Suíça estava ganhando, e isso levou os sul-americanos ao ataque (coisa que eles não sabem fazer), por isso a França mandou logo uma bola na trave, forçando os equatorianos de volta para a retranca. Aos 5 minutos, Antonio Valencia entrou com a sola da chuteira e foi imediatamente expulso, e a partir daí foi 95% de posse da bola da França. O equatoriano que estava com um absorvente usado pregado na cabeça... descobri o nome, Cristhian Noboa: o idiota errou um daqueles gols que só jogadores de campeonato carioca da segunda divisão erram, na única chance decente do Equador nessa copa. Quanto mais a Suíça enfiava gol em Honduras, mais Equador precisava marcar, só que as jogadas perigosas foram todas da França, é que não fizeram questão de fazer gol mesmo. Não se sabe se o Equador cansou de vez (como sempre) ou se o fedor dos jogadores franceses suados no calor carioca desorientaram os equatorianos, mas Valencia sequer esboçou resolver o jogo. Para os egocêntricos que consideram a América o centro mundial do futebol, só porque a Costa Rica ganhou um outro jogo, neste grupo dois europeus se classificaram. Ficou a pergunta no ar: quem colocou esse Equador na Copa?

Nigéria x Argentina[editar]

Cquote1.png Arrentina, Arrentina, Arrentina Cquote2.png

Mais um jogo da Argentina = mais uma zebra. Já foi com a eliminada Bósnia, e com o outro eliminado, o Irã. Agora foi a vez da Nigéria zebrar a Argentina que, como sempre, ficou dependente de Messi, que fez dois gols e empatou com Neymídia na artilharia da Copa. Já aos 3 minutos do 1º tempo veio o primeiro gol. Adivinha com quem? Sim, com Messi. Mas quase não deu tempo dos argentinos comemorarem o primeiro gol: a Nigéria contra-atacou e empatou, com Ahmed Musa. A partir daí, o 1º tempo ficou totalmente morno, mesmo com Messi ameaçando outro gol. Só veio gol aos 43 minutos, de escanteio, mais outro de Messi (com direito a frangaço do goleiro africano), que se igualou a Gaymar na artilharia da Copa. No segundo tempo, veio gol pra todo mundo de novo, começando pela Nigéria, com "a" Musa de novo, o Messi da Nigéria. E 3 minutos depois, a Argentina fez mais outro, mas dessa vez (finalmente) não foi Messi. Foi Rojo, que bateu de joelhinho/canela, e encerrou mais um jogo zebrado deste grupo da Copa: 3 a 2 para os hermanos.

Alemanha x EUA[editar]

Cquote1.png Chora, Reagan, chora! Cquote2.png
Adolf Hitler sobre essa partida

O jogo de compadres entre Alemanha e EUA já estava combinado, só porque o técnico dos EUA é alemão, os dois técnicos estavam combinando um empate. Mas Müller era uma "mula", e por não saber desse jogo de compadres, acabou fazendo o único gol da Alemanha, já que os EUA deram mole para a Alemanha. Embora com o acordo firmado, os norte-americanos só pensavam em marcar os alemães, mas eles não foram suficientes para marcar Müller, o Messi da Alemanha, que fez o primeiro e o único gol da Alemanha nesse jogo. O primeiro tempo foi bastante morno, com os EUA apenas marcando os alemães e até ameaçando um gol. Mas no 2º tempo aconteceu absolutamente o contrário. Aos 9 minutos, Müller se livrou da marcação americana e mandou pro fundo do gol e tem agora 4 gols em copas, se igualando a Messi e Neymar. Veja como ficou o placar dos artilheiros:

  • Müller: 4 gols em 3 jogos.
  • Messi: 4 gols em 3 jogos.
  • Neymar: 4 gols em 3 jogos.
  • Cristiano Ronaldo: 2 cortes de cabelo e 0 caspa em 3 jogos.

Apesar da derrota, os americanos foram beneficiados com a derrota de Gana (o time-empate) e a eliminação de Portugal, mesmo vencendo por 1 a 0.

Chile x Brasil[editar]

Melhor lance de Fred na partida.
Cquote1.png EU SABIA QUE ESSA COPA FOI COMPRADA! Cquote2.png

Chile e Brasil fizeram um daqueles jogos sofridos de assistir, não que tenham jogado mal mas por jogarem com medo. Ambos abriram as oitavas-de-final desta Copa do Mundo, todo mundo esqueceu os protestos (afinal, nada melhor que curtir folga do trabalho em casa) e todos os canais transmitiram as expectativas para este jogo desde a meia-noite, antes mesmo do primeiro reconhecimento de gramado onde os jogadores entraram em campo pra reconhecer a grama, e ver se ela era mesmo verídica até o final do jogo, com direito a prorrogação e penalidades máximas. O começo emocionante do jogo foi assim como esperado: ritmado pela catimba brasileira com excesso de faltas, xingamentos, simulações de falta, Neymar fingindo contusão e se jogando a cada contato e vaia para o hino chileno. Inclusive com Hulk fazendo questão de cavar pênalti, ao invés de chutar ao gol (só porque o chileno passou a mão na bunda dele). Mas é claro que juiz nenhum quer imitar o japonês do jogo da Croácia, e nada foi marcado. Graças à falta de altura dos chilenos, o gol brasileiro só poderia ter vindo de um escanteio como aconteceu, com bola rebatida no meio da área e espirrada para a conclusão de David Luiz aos 18 minutos de jogo. A partir de então, os brasileiros adotaram a velha tática de cozinhar o jogo, mas isso só durou até os 38 do primeiro tempo, quando numa lambança em uma batida de lateral na defesa (na verdade como a Copa do Mundo foi comprada para o PT se reeleger, os brasileiros entregaram o gol do Chile para convencerem de que o jogo foi disputado e não ficasse tão na cara as tramas da CBF) Sánchez empatou para o Chile.

E com o empate, começou aquele típico jogo sul-americano: muitas faltas, muitos chutes de fora da área, muitas cavadas de falta, muita cera e muito beijinho no ombro. Embora o Brasil tivesse o maior domínio e maiores chances de aumentar, pautado nas diretrizes de fair play da FIFA o Brasil resolveu dar chances para o Chile no final do primeiro tempo, e isso quase custou vitória chilena. Como todos sabem, o Chile comprou essa copa do mundo, tanto que já eliminaram a Espanha de maneira duvidosa (ou não). E por isso, aos 10 minutos do segundo tempo, na primeira chance Hulk dominou a bola com o tríceps e o juiz marcou irregularidade, invalidando o gol de panturrilha do atacante brasileiro (e ele ainda ganhou um cartãozinho por conta de posteriores elogios). Ao longo de todo o segundo tempo pairou essa dúvida no ar de quem será que comprou a Copa do Mundo, já que ambos times não atacavam efetivamente e batiam demais. Neymídia, apelido carinhoso do principal atacante brasileiro, como esperado sumiu na partida, afinal é uma partida decisiva. O Fred só foi visto por causa do bigode fora de moda dele, porque repentinamente ele sumiu de vez e vimos o Jô errando um dos gols que ele tanto erra no campeonato brasileiro. Pressão chilena no final do jogo, mas empate e prorrogação. Jogadores de Brasil e Chile caem no gramado e ficam fazendo cara de que queriam estar mordendo fronha, quando os massagistas e suas hábeis mãos másculas e calejadas vieram apertar suas coxas e nádegas. A prorrogação começou e os jogadores combinaram de jogar na sombra. O cansaço era nítido e todo mundo só caminhava no gramado, e ao invés de futebol os torcedores viram um grande festival de saltos ornamentais, já que o juiz da partida era viciado em marcar faltas. No segundo tempo, ao invés de ficarem firulando feito os brasileiros, mal tocaram na bola os chilenos tiveram a única chance real com um chutão no travessão. A decisão foi na disputa por pênaltis, e aí é aquela loteria. Como vemos nos fóruns especializados e comentários abalizados em sites de notícias de credibilidade, todos sabem que o Brasil comprou essa copa, então bastou o Chile errar mais pênaltis que o Brasil, e a CBF agradece Gonzalo Jara pela bela bola mandada na trave (agora pode ir pegar o dinheiro dele, pois evidentemente se vendeu). Classificação brasileira sofrida e a freguesia chilena continua.

Colômbia x Uruguai[editar]

Repare que nessa planta não tem copa, em respeito aos protestos que teoricamente iriam parar o Brasil em junho de 2014.

Após o sufoco da classificação do Brasil sobre o Chile, as ruas do país continuaram desertas com ninguém trabalhando ou fazendo protestos, apenas alimentando a ressaca que terão no dia seguinte. Só sobrou ir assistir a pelada entre Colômbia e Uruguai naquele ritmo de nem prestar atenção na partida, poder ir bastante ao banheiro, fazer um lanchinho na cozinha, entrar na internet, ir para sites de entretenimento adulto e apenas assistir um ou outro lance no replay. Com o uniforme da seleção brasileira amarelo, os colombianos entraram no Maracanã e vingaram a derrota do Brasil de 1950. Foi nesse ritmo que só aos 28 minutos do primeiro tempo, alguém observou algum lance desse jogo, no caso o gol colombiano de Râmes Rodríguez (porque ele não gosta de ser chamado de "James" por lembrar aquele vilão afeminado da Equipe Rocket - conforme Kléber Machado não enjoou de nos relembrar). A princípio, não passava de uma jogada aparentemente sem importância de bate e rebate na intermediária, até que esse colombiano enfiou um chute qualquer de longe que entrou. Foi basicamente algo que o Brasil não fez em 120 minutos de Fred imitando um cone.

FARC pedindo educadamente para que o técnico da seleção uruguaia deixe sua seleção ganhar

Os colombianos continuaram com seu jogo de posse de bola sem dificuldades e sem nenhum temor de alguém mordê-los (ok, esse assunto já saturou), não demorando em tocar uma meia dúzia de passes de bola e terminar com Juan Cuadrado cabeceando uma bola redonda para James Rodríguez marcar o segundo da Colômbia, em apenas 5 minutos de jogo. Com 32 minutos de segundo tempo de uma Colômbia satisfeita e de um Uruguai sem poder de reação, o lance de destaque ficou para uma falta no meio-de-campo a favor dos uruguaios, em que Pablo Armero da Colômbia deu uma catimbada - e um biquinho na bola - na hora que Cristian Rodríguez chegou e chutou a canela do colombiano ao invés da bola. Um cartão pro colombiano e outro pro Diego Lugano, que estava no banco e merece um cartão por ser chato demais. Algo que a Colômbia gosta de fazer nessa Copa não é apenas ganhar, eles têm que humilhar e desdenhar. E foi para fazer justamente isso que, aos 35 e aos 40 minutos, o técnico da Colômbia fez questão de tirar os melhores do time só para demonstrar que seguram o Uruguai mesmo assim. Com o fim do jogo, os colombianos comemoram bastante a vitória e classificação. Afinal, agora vão receber uma bagatela da CBF, porque essa copa já está comprada (como dizem muitas embasadas teorias por aí).

Holanda x México[editar]

Torcedor mexicano angustiado com mais uma eliminação de sua seleção.

Jogou como nunca, perdeu como sempre, o lema mexicano continua válido! Em mais um jogo das oitavas de final, após resultados óbvios e resultados meio surpreendentes, tivemos mais uma partida com cara de óbvia (não, ninguém estava torcendo para o México). A questão foi simples, a partida foi idêntica a uma pelada até mais ou menos o começo do segundo tempo (perdeu tempo quem viu). A partir daí, as coisas começaram a ficar mais interessantes: após mais de oito mil bicudas pro goleiro holandês (que agora estava do lado do sol), os mexicanos finalmente acertaram uma e o México saiu na frente. Já ia ser mais outra zebra nessa Copa, o que é terrível; tem gente que ainda acha que zebra é bom, mas não é, pois é um bicho feio todo listrado, é corinthiano times zebrendos jogam mal e só enfeiam as partidas.
Cquote1.png Foi sem querer querendo... Cquote2.png
Chaves sobre ter eliminado sua seleção

O jogo ia se aproximando do fim, e todos já estavam até que conformados com a tal da zebra em campo, que nesse momento não era preta com listras brancas e nem branca com listras pretas, era verde e residia na América do Norte; até que, de repente, os ditos craques holandeses que estavam desaparecidos foram encontrados e a Holanda empatou (foi tão de repente que eu nem vi). Para a tristeza dos mexicanos, se o resultado continuasse assim, eles ainda teriam que ir para a prorrogação, tarefa difícil mediante a pressão holandesa. Num golpe de eficiência holandesa, ou ineficiência mexicana, tivemos mais um daqueles pênaltis típicos da Copa (afinal, estamos no Brasil de Caimar, e Robben aprendeu com os brasileiros como cavar bem uma penalidade) e nem foi preciso esperar mais!!! O jogo acabava ali mesmo. Por incrível que pareça, a zebra foi retirada do campo e deportada de volta para sua terra (algo que os mexicanos já estão até meio acostumados, já que a partida acabou igual a uma novela deles). Enfim, a Holanda passa para as quartas e pega algum outro time que passar para as quartas também! Futebol não mostraram muito, mas já mostraram que mesmo com a idade meio avançada estão preparados para fortes emoções!

Costa Rica x Grécia[editar]

Costa Rica ultrapassa a Grécia e avança para as quartas de final.

Na Copa estragadora de bolões, as duas maiores Zebras da história das copas se enfrentaram no mais inesperado confronto das oitavas de final. Embora a favorita e responsável por aniquilar os grandes times do grupo da morte tenha vencido, a partida demonstrou que talvez a zica costarriquenha esteja chegando ao seu fim. Enfrentando os gregos, que se classificaram na cagada com um pênalti contra os elefantes, a {{{2}}} passou nesse jogo seu maior sufoco. O primeiro tempo foi um tédio, sem comentários. No tempo seguinte, a seleção da América Central abriu o jogo com um gol de Bryan Ruiz.

Mesmo com um jogador a menos, a vitória parecia inevitável mas, pasmem: a seleção que derrubou Itália e Uruguai teve a pachorra de tomar um empate da pífia seleção grega, no acréscimo do 2º tempo, levando o jogo para as prorrogações. Sókratis ressuscitou e marcou o gol de sobrevida. Embora os gregos tivessem a tradição espartana da guerra, seus soldados em campo não foram treinados para finalizar, sendo seus chutes a gol uma bela de uma porcaria. Terminada a fase da prorrogação, vieram os pênaltis. Poderia dar mais detalhes sobre isso, mas a relação abaixo já basta, visto que este jogo nem merecia uma notícia, de tão tedioso que foi. Resta agora saber se a Zebra vai se manter enfrentando os Holandeses, que acabaram com o paredão de Ochoa.

França x Nigéria[editar]

Foi nesse jogo que pudemos comparar que Valbuena é do tamanho da bandeira de escanteio, e afirmar que ele é um gnomo.

Quem esperava uma vitória tranquilíssima da França sobre a Nigéria, se fudeu. Foi muito ao contrário disso. O primeiro tempo foi muitíssimo morno, com um toque aqui da França e um toque acolá da Nigéria. Isso porque, aos 19 minutos do 1º tempo, já havia pequenas impressões de que a França comprou a Copa, com um gol roubado de Emenike, da Nigéria, o que deixou todos os nigerianos totalmente emputecidos. Logo depois, a França tentou contra-atacar, mas Eneyama, uma mistura de Júlio César e Ochoa, conseguiu entrar no modo paredão. E o 2º tempo foi quase a mesma coisa que o 1º. Aos 35 minutos, Eneyama, que acidentalmente desligou o modo paredão, acabou virando um frangaço de Pogba. Pensa que acabou aí? Sabe de nada, inocente! Nos acréscimos, a Nigéria, que já estava com o voo de volta marcado, marcou contra e acabou classificando de propósito a França, que com certeza comprou a copa e vai roubar muito no jogo contra a Alemanha nas quartas de final.

Argentina x Suiça[editar]

Em mais uma disputa das oitavas de final, hoje tivemos Argentina e Suíça, uma daquelas partidas que em momentos normais nem era preciso ter. Mas, como a zebra anda solta, aposto que muita gente torceu que tivéssemos mais uma em campo. Infelizmente (ou não), algumas zebras são meio impossíveis de acontecer por mais que sejam merecidas. Primeiramente, na Suíça eles não devem nem saber o que é uma zebra (isso não dá dinheiro). Segundamente (?), eles se acham muito cheios da teoria do futebol, mas na prática mesmo não sabem fazer absolutamente nada. Tanto que, taticamente, a Suíça foi quase perfeita em campo. Eles sempre estão nas posições certinhas e seguem sempre aquela planílha maluca que os técnicos fazem e nem eles mesmos entendem.

Suiços ficaram tão tristes que...

Só que eles não sabem o que é fazer gol, e sem fazer gol, ninguém vence!

A Argentina por outro lado tinha o dobro de talento, e menos da metade da vontade de jogar dos suíços. Beleza que a Leste não é um lugar muito animador e que o adversário é menos animador ainda (entra para aquelas equipes que não jogam e não deixam ninguém jogar), mas eles foram tão lamentáveis em campo, que parecia ser um jogo da Suíça contra ela mesma.

A Suíça jogando sozinha e sendo marcada pela natureza! E também pelo goleiro argentino, que foi sem dúvida o nome mais falado durante todo o jogo. Já caminhávamos para o fim, e para uma disputa de pênaltis, quando um dos argentinos começou a correr mais que todo mundo em campo, isso por uma questão óbvia, ele estava desaparecido desde então, deve ter ficado sentado vendo os outros correrem, e agora estava aproveitando. Quando havia algum passe menos ruim, Di Maria sempre estava lá (não parecia, mas estava). E a única coisa útil que ele fez na partida inteira foi o gol. Na única jogada de boa vontade, ele colocou os argentinos na frente. Daí em diante, a correria foi master, já que é sempre a mesma coisa. Todos passam 90 minutos despreocupados, mas quando chega nos acréscimos da prorrogação, todo mundo quer correr mais que o papa-léguas. Mas não adiantou. Se os suíços não tiveram a competência para fazer gols até então, não seria agora! Bye Suiça!

Bélgica x EUA[editar]

Vemos com nitidez o posicionamento apurado do belga Marouane Fellaini no meio de campo.

Estados Unidos e Bélgica se enfrentaram pelo último jogo das oitavas-de-final da copa, para definir quem seria a seleção de menos tradição que estaria entre as oito grandes seleções finalistas do mundo. Ambos times demonstraram futebol sofrível de feio durante a fase de grupos, e a expectativa era ver um jogo ruim como Bragantino X União São João e por isso poucos se importaram com esse jogo, ainda mais quando se sabe que nenhum dos dois conseguirá zebrar contra a Argentina mesmo. O que vimos foi um Estados Unidos que não sabia para onde correr ou o que fazer contra uma Bélgica que fazia questão de desperdiçar gols. Correria não faltou neste jogo, especialmente para estas seleções desacostumadas a jogos decisivos, como se cada uma não soubesse direito o que fazer. Então, como alternativa, fizeram passes em profundidade e tiveram ausência total de vontade em concluir e marcar gol, e muitas tentativas foram pobremente desperdiçadas em cima dos goleiros desocupados. O melhor lance ocorreu aos 18 minutos, com uma invasão de campo de um terrorista fundamentalista, obrigando os gordos stewards particulares da FIFA (sim, aqueles que são pagos com um sanduíche natural e um delicioso suco de laranja antes do jogo) a dar uma segurança espetacular e exemplar ao jogo. O terrorista em questão não conseguiu explodir com sucesso o artefato explosivo de destruição em massa que ele carregava colado ao corpo, graças à destreza destes bravos homens bem treinados da segurança.

Tim-howard-meme-7.jpg

Voltando ao jogo, os times continuaram chutando bolas em cima dos goleiros, dando muitos balãozinhos no meio de campo e mais chutes nas mãos dos goleiros. Final com empate em branco no primeiro tempo. O segundo tempo foi caracterizado pela pressão belga, executando mais de 30 chutes ao gol estadunidense (enquanto os EUA chutaram míseras 3 vezes, e pra fora), que a essa altura já tinham desistido e concluído que chegar à prorrogação seria lucro, logo os norte-americanos adotaram a tática de assistir os belgas jogarem futebol. Dali em diante, a Bélgica passou a tocar bola na grande área adversária e mandarem pelo menos um chute por minuto. No final do jogo, era nítido no olhar dos norte-americanos a vontade que eles tinham de pegar a bola com as mãos e sair quicando ela pelo gramado até fazer uma cesta ou touchdown, ou mesmo arremessá-la para alguém rebater com um taco, basicamente qualquer coisa que eles talvez soubessem realmente executar com habilidade. Competitivos como são, até estudavam as regras para ver se comer a bola feito um sanduíche gorduroso de hambúrguer valesse um gol, mas jogar o soccer mesmo, nada.

Com o final do tempo regulamentar, ficou a dúvida se os Estados Unidos que são ruins demais, ou a Bélgica que não sabe protagonizar um jogo, para um jogo que deveria ter terminado pelo menos uns 10 – 1 para a Bélgica, a prorrogação foi claramente um milagre para os EUA. Pelo visto a solução belga era esse tal de Romelu Lukaku (apesar do nome bizarro, ele não é um Pokémon), negão que saiu arrancando pela direita sem nenhum americano com mais perna para conseguir pará-lo, e por fim cruzou rasteiro para Kevin De Bruyne finalmente fazer o gol de honra belga. Não havia terminado nem o primeiro tempo da prorrogação e Romelu Lukaku saiu correndo feito um maratonista louco, deixando todos os americanos para trás e matando o jogo com o segundo gol belga. Para o segundo tempo da prorrogação, os belgas acomodaram e desaprenderam tudo o que fizeram em 105 minutos, conseguindo tomar um gol do inofensivo time dos Estados Unidos com um lançamento telegrafado lento pelo alto que o atacante Julian Green fez com o dedo mindinho do pé. E os norte-americanos quase tiveram a chance de empatar com a única jogada ensaiada de falta vista nessa copa de maus cobradores de falta, com uma tabelinha no meio de 10 belgas que não acreditaram que os americanos poderiam ter habilidade para aquilo.

Alemanha x Argélia[editar]

Argelinos comemorando a derrota

As oitavas de finais provaram que times tidos como irrelevantes agora estão ameaçando nesta copa chutar veteranos para fora da competição. Depois de quase perderem para Gana, a Alemanha passou sufoco em seu confronto com a Argélia, uma das zebras que conseguiram passar da fase de grupos. Acostumados a enfrentar até então times medíocres como Portugal e EUA, os alemães foram surpreendidos com a ofensiva muçulmana, provando que até os filhos de Alá sabem jogar bola. Os alemães perderam o controle do jogo durante o primeiro tempo, tomando uma bomba de chutes em sua área. Com o empate no fim do segundo tempo, o favoritismo alemão foi manchado. Pior ainda era o risco da Argélia enfrentar a França nas quartas de final: o país foi colonizado e subjugado pelos franceses. Muitos deles vivem na França, e bancaram uma algazarra, com gritaria e Narrador da Sessão da Tarde em Paris, no jogo contra os soviéticos (do mesmo jeito que os argentinos andam fazendo nesta copa). O confronto poderia propiciar ao Brasil o vexame de ser o anfitrião de um jogo que poderia culminar em uma batalha sangrenta sob a torre Eiffel. Mas para o bem de todos, os alemães ganharam por 2 a 1 na prorrogação. O técnico comedor de meleca não gostou do jogo (novidade), e espera que os comedores de chucrute tomem jeito e não vacilem em pleno Maracanã contra os franceses.

FARC x PCC[editar]

Cquote1.png Não se faz uma Copa do Mundo com hospitais Cquote2.png
Ronaldo Fenômeno sobre Neymar de vértebra quebrada

Avaliação de Fred contra o principal concorrente para sua vaga.
Ciúme doentio de Laerte tira Neymar da Copa do Mundo com joelhada na vértebra do jogador brasileiro, para desespero da Bruna Marquezine.

Colômbia e Brasil se encontraram pelas quartas-de-final da Copa do Mundo para um jogo de extrema expectativa. O confronto era de colombianos confiantes que já se acham os campeões do mundo contra um Brasil desequilibrado cheio de psicólogos e psiquiatras para ajudar os jogadores a administrar o emocional do time em jogar um péssimo futebol, para tentar convencer de que essa copa não foi comprada pelo PT. Os hinos foram tocados, e o torcedor deu novamente um show de falta de civilidade cantando o hino só até a metade por total falta de respeito e amor à pátria, sem contar que todos ali nem sabiam onde fica esse tal de Rio Ipiranga ou que significa brado retumbante, raios fúlgidos ou impávido colosso, mas agora ao que interessa, que é o jogo, ele começou mais morno que mingau amanhecido. Ninguém sabe como, mas aos 7 minutos o Brasil fez o primeiro gol. Em cobrança de escanteio, todo mundo ficou só olhando até Thiago Silva fazer o que o Fred jamais faz, que é um gol de panturrilha. Os colombianos, após 4 vitórias consecutivas, perceberam que só ganharam de seleções mortas até então, e resolveram jogar futebol igual sempre jogaram, feito time derrotado só assistindo o Brasil jogar, tendo como única chance uma falta que chutaram na barreira. O Brasil, satisfeito com o placar, parou de atacar: de vez em quando David Luiz saía correndo igual um maluco pro ataque, Neymar pedalava pra nada, Hulk estava fominha querendo resolver sozinho como se fosse o Allejo e Fred continuou exercendo sua função de cone.

Já as estrelas colombianas Cuadrado e Losango James Rodríguez nada fizeram (afinal, não estão mais enfrentando zagueiros perna-de-pau gregos ou japoneses). Quanto ao juiz, concentrado demais em não ser acusado de que foi comprado pela CBF, decidiu fazer de conta que nem estava apitando um jogo de futebol, marcou qualquer queda como falta e esqueceu os cartões no vestiário. Para o segundo tempo, ficou claro que o juiz esqueceu os cartões foi em casa, porque a pancadaria continuou rolando solta (e as aulas de mergulho também, porque os colombianos se jogavam a todo instante). Aos 20 minutos, veio o lance crucial e mais uma prova de que essa Copa foi comparada. Após falta perigosa cruzada na área (feito jogo de várzea), 8 jogadores se bateram tentando achar a bola até o colombiano Mario Yepes concluir ao gol, imediatamente anulado por infração de perigo de gol. No minuto seguinte, houve uma falta comprada pelo Brasil, e mesmo que mal batida por David Luiz, o goleirão David Ospina com sua mão de cannabis (não existe alface na Colômbia) aceitou o segundo gol do Brasil. Seguindo a tendência dos times brasileiros que são avessos a sair goleando, uma vez que o Brasil abriu dois gols de vantagem decidiu se fechar numa retranca, não se incomodando nem de fazer um pênalti aos 35 minutos do segundo tempo, que James Rodríguez diminuiu com bola rasteirinha no canto. Para o final do jogo, Felipão optar por lotar o time de zagueiros e volantes, só pelo prazer de não ganhar fácil e deixar os jogadores passarem 10 minutos na pressão sendo espancados pelos colombianos. Foi por causa dessa tática que o Neymar simulou mais uma falta, e dessa vez fez uma cera tão grande que foi até levado ao hospital de ambulância, chegando ao cúmulo de simular uma fratura na coluna vertebral chegando lá, ao ponto de ter que ser cortado da Copa do Mundo. Grande exibição teatral do Brasil e classificação sofrida mais uma vez. Para a semifinal contra a Alemanha, como o Neymar é um jogador fabricado pela mídia nem fará falta mesmo (ou não).

Argentina x Bélgica[editar]

Principal arma da Argentina

Tivemos hoje a disputa do lado "easy" das quartas de final. A disputa entre aqueles dois times que ficaram só "prometendo" desde o início da Copa e que até agora não apresentaram porcaria nenhuma de futebol. A Argentina é sempre taxada como uma das favoritas, mesmo não tendo feito absolutamente nada nas competções mais recentes (quando digo mais recentes, me refiro a tudo que ocorreu no mundo esportivo após 1986)! Sim, é isso mesmo, eles só têm fama, parece aqueles diretores de filmes que fazem um filme bom na vida e de resto só filme merda. Já a Bélgica nem fama tem. Eles nunca ganharam absolutamente nada, mas de repente, nessa Copa, eles se tornaram a "seleção promessa", aquela que viria disposta a ganhar o título. Balela, até porque todo mundo vem visando o título, ou será que algum time perde tempo vindo aqui para ficar em último? Até porque o que importa mesmo é quem ganha a Copa; do segundo até o último dá no mesmo. Só se lembra quem é o vice, quando ele é campeão em ser vice. Continuando, nessa partida de hoje estavam todos empolgados para ver o que as duas seleções realmente tinham a oferecer. Até agora só tinham jogado contra seleções inexpressivas, quem sabe agora fariam algo uma contra a outra. Infelizmente para quem assiste e para quem gasta dinheiro indo ao estádio, o jogo foi extremamente ruim, deu vontade de dormir. Não pudemos nem torcer por uma zebra porque o time argentino estava mal, mas o time belga estava ainda pior.

Eu sei, teve gol e teve um vencedor, mas isso também é o mínimo! E mais, o gol argentino saiu naquele período em que o adversário ainda estava dormindo e não tinha se dado conta de que a partida já havia começado. Aos 7 minutos do primeiro tempo, foi a oportunidade de abrir o placar e também vencer a partida, já que a partir daí não teve mais nada o jogo todo. O mais interessante desse jogo foi ver as "revews". Para quem as lê, dá a impressão de que só a argentina jogou e que a cada minuto tinha um lance de perigo. Mas para quem viu mesmo o jogo, não teve nada disso! Sempre digo que ler revew é o mesmo que ouvir o jogo pelo rádio: o narrador fica o tempo todo gritando igual a uma hiena e se você liga a TV para acompanhar, vai ver que a bola ainda nem saiu do meio campo! Enfim, ainda não vimos o grande futebol que a argentina tem a apresentar, mas, teremos outra oportunidade na semifinal! Agora a Bélgica eu não sei, eles vão para a Copa de vez em nunca e nunca fazem nada, então... Paciência!

Holanda x Costa Rica[editar]

Mapa do local para onde a seleção costarriquenha irá depois desse jogo.

Pra não dizer que o jogo começou morno, como todas as outras desnotícias da copa, digo que o jogo começou bem 25 graus Celsius (se você é americano, 77 graus Fahrenheit), parecido com o de França X Alemanha: bate pra área, bate pra fora, bate pra área e assim por diante, até que os Países Baixos (vulgo Holanda, pela lógica da FIFA em português) começaram a dar uns ataques perigosos, até que em 21 minutos do primeiro tempo, quase sai um gol, se não fosse o atacante holandês bêbado que se auto-impediu e não pegou na bola do Arjen Robben. Depois disso, quase sai um gol costarriquenho, quase, já que eles não estão mais competentes como no começo e isso mostra que os dopings da seleção acabaram, até que sai um contra-ataque novamente de Robben, que foi chutado e levou falta a favor da Holanda. A falta quase deu em gol, quase de novo.O segundo tempo começou mais quente, mas foi esfriando depois dos primeiros dez minutos de jogo, e conseguiu ficar pior do que o primeiro.

Depois de um tempo, Cristian Gamboa se jogou em cima de um holandês, machucou a perna e ainda pediu falta, mas mesmo assim o árbitro não foi comprado e ele foi substituído depois. Depois, um jogo pior ainda começou, até que os holandeses lembraram que estavam em eliminatórias e avançaram, começou o show de escanteios e finalizações, e nenhuma deu certo. No meio disso, um quase pênalti pra Holanda, quando jogaram o Robben no chão de novo, a um passo e meio da área, além de um pênalti pra Costa Rica não marcado pelo juiz cego. E começam as prorrogações, mais mortas do que nunca, até que no final da segunda a coisa ficou mais bonita, com finalizações pra ambos os lados, mas mesmo assim, bosta nenhuma foi o resultado. Robin van Persie quase fez um gol mais cagado que o gol do David Luiz no jogo contra a Colômbia, mas bateu na bica do travecãossão da trave. Foi pros esperados pênaltis, e rolou o rolado esperado, Holanda ganhou da Costa Rica pela defesa do goleiro Ku Tim Krul em dois gols.

Holanda x Alemanha[editar]

Robben não se conforma que vai ter que cruzar a Radial Leste sem a vitória

E começa mais uma confusão, mas desta pra ver quem iria enfrentar os "Alemanha". Ao contrário dos outros jogos que começaram bem mornos, esse já começou pegando fogo. O primeiro tempo começou assim: era só passe da Holanda, aí vinha um argentino e roubava a bola e ia correndo igual um jumento até o gol adversário e errava o chute: tiro de meta pra Holanda, e por aí vai. O jogo começou com poucas faltas, mostrando que as expectativas de que ia ser uma porradaria comendo solta em campo também estavam morrendo. Algumas ameaças da Holanda apareceram, mas o goleiro Sergio Romero pegava todas, o goleiro holandês também. Um jumento argentino deu uma testada na cuca de um negão holandês e saiu tonto e girando até cair no chão, mas depois acordou e viu que estava em uma copa do mundo e voltou a jogar com todo o fogo de sempre.

No segundo tempo quase sai um gol do Gonzalo Higuaín, mas ele chutou torto à lá Fred Flinstone e nada de gol novamente. Arjen Robben até tentou, foi pela esquerda da área e estava pronto pra fazer um cruzamento seguido de gol, mas ficou planejando a jogada e esqueceu de dar o cu passe, perdendo mais uma oportunidade. Nas prorrogações, o 0x0 continuava bonito ali no placar, e o Pablo Zabaleta levou uma baleta na fuzeta trombada e cortou o rostinho, o que fez a coitada cair no chão de dor. Como a Argentina já tinha feito todas as substituições, não podia tirar a delicada, deixando ela o jogo inteiro com um pano na boca. Enquanto isso, no Vaticano, o papa argentino fez uma macumba da pesada, o que causou uma grave amnésia no técnico da Holanda (que se esqueceu de trocar o goleiro por outro seis centímetros mais alto). Pra coroar, o goleiro holandês "espalmou pra dentro" no último pênalti, o que acabou levando os hermanos para a grande final. Mais uma vez eliminação holandesa, desde 1974, os laranjas não param de amarelar e morrer na praia. Então, Argentina na final! Quantas copas tienes, boludo? Resta agora saber quem são os brasileiros idiotas que vão torcer para a Argentina, e quem são os brasileiros idiotas que vão torcer pro time que eliminou aquele outro que perdeu de sete (e não merecia nem o quarto lugar).

Brasil x Alemanha[editar]

Partida 1[editar]

Ver: Derrota do Brasil

Partida 2[editar]

É assim que os brasileiros se sentem após a perder de novo da Alemanha.

Logo após o vexame onde o Brasil inteiro esteve ligado na tela da TV na hora de conferir a primeira partida da semifinal da Copa do Mundo 2014, Dilma decidiu fazer uma simulação usando o game FIFA 14, para PS4 para uma possível revanche. Frente a frente, Brasil e Alemanha, duas das maiores potências do futebol mundial, que duelaram por uma vaga na grande decisão e a seleção canarinha fez feio tomando no cu a maior goleada em casa desde 1920 quando perdeu de 6 a 0 da seleção uruguaia não me perguntem como sei o o meu avô quem me contou. Apesar do desfalque de Neymar na vida real, no vídeo game ele pode jogar tranquilamente (afinal, ali ele está a salvo das joelhadas do colombiano Juan Zúñiga). Mesmo com a seleção completa desta vez, o resultado não foi nada bom.

A Alemanha começou pressionando e fez um gol com Mesut Ozil. Logo em seguida, o atacante Fred ironia empatou para os brasileiros com um gol de cabeça. Ainda no primeiro tempo, Miroslav Klose colocou a Alemanha novamente em vantagem. Apesar de estar atrás no placar, no segundo tempo da partida só deu Alemanha. No fim do jogo, o goleiro Júlio Cesar ainda defendeu um pênalti mal batido por Bastian Schweinsteiger. Ao menos no FIFA 14, o resultado final ficou em 2x1 para Alemanha e, se essa previsão estiver correta, o sonho do hexa chega ao fim hoje. Para a sua comodidade pusemos a ligação do Youtube para apreciar mas uma humilhação, ou não

Brasil x Holanda[editar]

Chapolincopa.jpg
Dispensa comentários

Bem vindos amigos da rede Wikimerda estamos aqui reunidos para mais uma estupro coletivo partida pela decisão do terceiro lugar entre Hue BR vs Marijuanalandia. Os times entram em campo, cantam o hino e GOOOOOOOOL da Holanda. Num pênalti fora da área, Robin van Persie inicia o estupro a contagem. Enquanto o Brasil tenta se recompor, toma outro GOOOOOOLLLL da Holanda. Num lance que parecia pebolim humano, Blind marca se aproveitando da frigidez incapacidade brasileira. Os comandados de Felipão ainda tentaram de tudo para correr atrás do Robben prejuízo, Oscar até tentou uma de Paulo Baier nas bolas paradas, mas sem sucesso.

O segundo tempo tava parecendo partida de Campeonato Brasileiro: um time ganhando que fica tocando bola, e o perdedor que fica dando chutão na bola como se ela fosse um coco pra ver se dá em alguma coisa. O destaque do segundo tempo foi o Oscar, o fake do Paulo Baier tentando cavar um pênalti, mas como ele não é carioca, tomou cartão e ainda lesionou o coitado do zagayro, de tão ruim que foi sua encenação até Leonardo Di Caprio faria melhor. E quando o jogo estava perto do fim, Louis Van Gaal coloca a Santa Rosa Madalena no gol para ver seu time sorrir, cantar, seu corpo dançar sem parar e GOOOOOOOLLL da Holanda (de um carinha aí que não sei o nome pois é secundário). Final: Seleção Neymarzete de Futebol 0 X 3 Maconheiros, que poderiam fazer muito mais, mas estavam muito noiados para isso (se é que me entende).

Alemanha x Argentina[editar]

"We are the champions, my friends..."

As expectativas das torcidas alemã e brasileira eram fortes que a Deutschland iria golear a Marrentina com a maior facilidade de todas, mas o primeiro tempo mostra que elas não funfaram, já que quem fazia mais ataques e ameaças de gol era a Argentina. Até saiu um gol do Higuaín, mas o burro se apressou, foi impedido e teve o gol anulado. Tudo indicava que teríamos um partida forte aqui, ou que o Maracanã iria desabar e matar todo mundo. No segundo tempo, a Alemanha dava indícios que iria morrer em campo e que os hermanos teriam seu terceiro título, mas de repente eles acordam e a partida fica mais equilibrada. Mas algumas burradas sempre saíam, e a Argentina se aproveitava delas pra fazer contra-ataques que sempre acabavam de maneira ridícula, mantendo o 0 x 0. Saíam muitos escanteios de lá e de cá, nenhum dava certo, e o jogo estava começando a ficar chato, e começava a acontecer o show das substituições pra ver se alguma coisa rola. Depois de uns minutos, acabou o segundo tempo, e os jogadores suavam feito porcos com câimbras infernais.

Enquanto isso, O messi...

As prorrogações começaram. Joachim Löw saboreava seu ranho secretamente e Alejandro Sabella estava preocupado por Lionel Messi não estar jogando nada nem mover o time inteiro, como de costume. Enquanto isso, virou moda fazer falta no Bastian Schweinsteiger (sim, eu procurei o nome dele no Google), tanto que até cortaram o rosto dele. A segunda prorrogação tinha uma Alemanha mais forte e mais hacker ameaçadora, e isso preocupava Sergio Romero, que poderia comprometer seu time não pegando aqueles gols bizarros que a Alemanha faz. O que realmente acabou acontecendo: o reserva Mario Götze fez um gol torto e duvidoso, mostrando que ele pode ter ligações com alienígenas. E esse foi o gol da vitória alemã. Messi até tentou um de falta, mas jogou uns 2 km mais acima.

Na hora da premiação, a cara de cu dos jogadores da Argentina era inevitável, e impagável! Nóia ganhou a Luva de Ouro, como melhor goleiro da copa, e Messi ganhou uma Bola no cu de Ouro por ser o melhor jogador da copa. Mesmo assim, a expressão argentina não mudou: depois de tirar as medalhas do pescoço na hora, todos foram caladinhos pra Buenos Aires, enquanto os alemães festejavam com suas putas mulheres, ganhavam as medalhas de ouro, levantavam a taça, viam o Cristo Redentor nas cores da bandeira da Alemanha Nazista e contemplavam as vaias contra a versão brasileira do Hitler Dilma. Agora vamos esperar até 2018, torcer para que o Fred mude sua profissão para cone sinalizador, para que Vladmir Putin não faça a União Europeia, que os EUA bombardeiem a Rússia pra recuperar a Criméia e que nenhuma data de fim do mundo apareça antes de lá. Isso é tudo pessoal!